Que potência há em (re)existir? Movimentos com/para/e uso de tecnologias digitais e (des)formação de professores, matemáticas, saberes, fazeres, vidas, e...

Autores

  • Amanda Silva de Medeiros Universidade Federal de Mato Grosso do Sul https://orcid.org/0000-0003-2525-0877
  • Suely Scherer Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Palavras-chave:

Formação Inicial de Professores de Matemática; Tecnologias Digitais; (Des)formação; Narrativa.

Resumo

O presente artigo se propõe a apresentar um estudo sobre (des)formação a partir de uma narrativa composta em meio a lembranças e marcas de movimentos realizados por duas professoras e um grupo de futuros professores de matemática, alunos de uma disciplina intitulada de “Tecnologias digitais e o ensino de matemática” ofertada em um curso de Licenciatura em Matemática de uma universidade pública. Assim, em um movimento de (re)existência, a escrita neste artigo é guiada pelos afetos, das autoras e dos alunos, disparados nos diálogos, problematizações, saberes, fazeres, pensares, experiências, vidas de um semestre letivo, o primeiro de 2020, desenvolvido em meio à uma pandemia. Tais afetos são apresentados por meio de produções realizadas pelos alunos, como narrativas digitais, HQ, vídeos, planejamentos, aulas... e a partir/com elas se discute a potência de modos outros de ocupar/estar/constituir uma disciplina em curso de Licenciatura em Matemática, a escola, a sociedade, a vida. Discute-se a potência de (des)formar. Assim, ao operar com essas marcas (de alunos, de professoras/(des)formadoras/pesquisadoras) propõe-se uma (des)formação de nossos modos mecânicos e dicotômicos de escrever, formar, educar, viver. Há potência, então, em (re)existir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Amanda Silva de Medeiros, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Unviersidade Federal de Mato Grosso do Sul. Bolsista CAPES.

Suely Scherer, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Educação (currículo) pela PUCSP, professora associada da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Referências

BARROS. Manoel de. Memórias Inventadas a segunda infância. São Paulo: Planeta, 2006.

BRITO, Maria dos Remédios de. Da formação à deformação: para além da fundamentação. IXTLI: Revista Latinoamericana de Filosofía de la Educación, v. 3, n. 5, p. 85-104, 2016.

CAMMAROTA, Giovani; ROTONDO, Margareth Aparecida Sacramento; CLARETO, Sônia. Formação docente: exercício ético estético político com matemáticas. Perspectivas da Educação Matemática, v. 12, n. 30, p. 679-694, 2019.

CLARETO, Sonia Maria. Matemática como acontecimento na sala de aula. Anais... In: Reunião Nacional da ANPED (Sistema Nacional de Educação e Participação Popular: desafios para as políticas educacionais), 2008. ANAIS: Reunião nacional da ANPED (Sistema Nacional de Educação e Participação Popular: Desafios para as Políticas Educacionais). Goiânia/GO: 2013.

MATURANA R., Humberto; VARELA, Francisco. A árvore do conhecimento: as bases biológicas do entendimento humano. Tradução por Jonas Pereira dos Santos. Campinas-SP: Editorial Psy II, 1995.

MORAES, Maria Cândida de. Complejidad y currículo: por una nueva relación. Polis (Santiago), v. 9, n. 25, p. 289-311, 2010.

RIBETTO, Anelice; DIAS, Rosimeri. Micropolítica e uma aposta ética, estética e política de formar professores pela invenção. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 17, n. 47, p. 209-229, 2019.

ROLNIK, Suely. Pensamento, corpo e devir: uma perspectiva ético/estético/política no trabalho acadêmico. Cadernos de subjetividade, v. 1, n. 2, p. 241-251, 1993.

ROTONDO, Margareth Aparecida Sacramento; CAMMAROTA, Giovani; SILVA, Felipe Vargas da. Formação de professores que ensinam matemática. Principia: Caminhos da Iniciação Científica, v. 19, n. 1, p. 11-11, 2019.

SAINT-EXUPÉRY, Antoine. O Pequeno Príncipe. Tradução de Bruno Anselmi Matangrano. São Paulo: Pé de Letra, 2016.

Downloads

Publicado

2022-04-05

Como Citar

MEDEIROS, A. S. de; SCHERER, S. Que potência há em (re)existir? Movimentos com/para/e uso de tecnologias digitais e (des)formação de professores, matemáticas, saberes, fazeres, vidas, e... Revista de Investigação e Divulgação em Educação Matemática , [S. l.], v. 6, n. 1, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ridema/article/view/35768. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos