Padronização dos espaços educativos e padronização das infâncias

os casos dos CIEPs fluminenses (RJ) e de Creches Municipais de SJC (SP)

Autores

  • Victor Loback Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME-RJ) https://orcid.org/0000-0001-6596-3674
  • Silvia Helena Valentim Centre Régional de Formation des Professionnels de l'Enfance: Lille, Hauts-de-France, FR

Palavras-chave:

Espaço escolar, Geografia da Educação, Análise Institucional

Resumo

Este artigo trata sobre as relações entre a padronização dos espaços educacionais e a padronização do modelo de infância esperado. Colocamos em debate a Geografia da Educação e a Análise Institucional, pois os espaços propostos estão inscritos em sistemas de normas que participam e influenciam na maneira como as crianças interagem com esses espaços. Nos debruçamos sobre os Centros Educacionais de Educação Pública (CIEPs), um modelo estadual padronizado de 500 unidades construídas ao longo da década de 1980, assim como creches do município de São José dos Campos para elucidar o debate proposto. Buscamos refletir, como a padronização da dimensão física dos espaços impacta (ou enseja) a padronização das infâncias que eles ajudarão a produzir. A partir de exemplos, concluímos que a autoria infantil extrapola as normas padronizadoras, produzindo as marcas espaciais da diversidade humana que são constitutivas, inclusive, da produção do espaço geográfico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Loback, Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME-RJ)

Doutor em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF), 2022, vinculado à linha de pesquisa Linguagem, Cultura e Processos Formativos, com período de estágio doutoral na Université de Cergy-Pontoise (França). Mestrado em Educação pela UFF, concluído em 2015. Licenciatura Plena em Geografia pela mesma universidade obtida em 2012. Atualmente é coordenador pedagógico na Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. Possui experiência com formação de professores, tendo atuado como Supervisor no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES), entre 2014 a 2018. Desenvolve pesquisas acerca da Produção do Espaço Escolar e o Ensino de Geografia em busca da construção de uma Geografia da Educação.

Silvia Helena Valentim, Centre Régional de Formation des Professionnels de l'Enfance: Lille, Hauts-de-France, FR

Possui graduação em Ciencias da Educação na Université de Paris 8 Vincennes-Saint-Denis (2003). Mestrado em Ciencias da Educação - Université Paris 8 Vincennes-Saint-Denis (2005) e Doutorado em Educação com période de co-tutela entre as Universidades de Cergy-Pontoise na França e a Universidade Federal Fluminense de Niteroi. De 2009 à 2013 atuou como professora no IRTS - Institut Régional du Travail Social/Paris/Parmentier. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: creches, educação infantil, familias, parentalidade, educação, inserção, cooperação, no campo da educação e da sociologia. De 2013 à agosto de 2015 trabalhou na Universidade de Cergy Pontoise como ATER ( Attaché Temporaire d enseignement et de Recherche), onde lecionou nas áreas de Sociologia, Politicas publicas, Iniciação à Engenharia de projetos sociais, e em methodologia de pesquisa. Desde 2015, atua como professora na Universidade de Lille 3, no departamento de Ciência da Educação onde leciona conteúdos vinculados ao trabalho social, a educação infantil e a metodologia de pesquisas em educação. Em setembro de 2016 começou a atuar como Diretora de Estudos no CRFPE (Centre Régional de Formation des Professionnels de L'Enfance), na cidade de Lille na França.

Referências

ARAUJO, Maria Catarina Ananias De. A educação como instrumento de dominação das massas: uma análise a partir do pensamento de Karl Marx. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2, Campina Grande. Anais. Campina Grande: Realize Editora, 2015. Disponível em: <https://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/15092>. Acesso em: 24/02/2022 19:40

BROCK, Colin. A role for geography in the service of comparative education. Compare: A Journal of Comparative and International Education, v. 6, n. 1, p. 35-36, 1976.

BROCK, Colin. Geography of education: scale, space and location in the study of education. London: Bloomsbury Academic, 2016.

DULUDE, Eliane, DUPRIEZ, Vincent. Les politiques et les pratiques de pilotage par les résultats: perspectives internationales. Revue de recherche internationale et comparative en éducation, Nouvelle série, 12, p. 7-18, 2014.

EYNG, Ana Maria; ENS, Romilda Teodora; PACIEVITCH, Thais. Diversidade e padronização nas políticas educacionais: configurações da convivência escolar. Ensaio: aval. pol. públ. educ., Rio de Janeiro, v. 21, n. 81, p. 773-800, out./dez. 2013.

FARIA, Victor Carvalho Loback de. Espacialidades dos CIEPs fluminenses: contribuições para a Geografia da Educação. 2022. 210 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2022.

GIROTTO, Eduardo Donizeti. A dimensão espacial da escola pública: leituras sobre a reorganização da Rede Estadual de São Paulo. Revista Educação & Sociedade, Campinas, v. 37, n. 137, p. 1121-1141, out./dez., 2016.

GOMES, Marcos Vinicius; SERRA, Ênio. Por que falar sobre Geografia da Educação? Giramundo, Rio de Janeiro, v. 6, n. 12, jul./dez. 2019. p.7-21.

HONES, Gerald; RYBA, Raymond. Why Not a Geography of Education? Journal of Geography, v. 71, n. 3, p. 135-139, 1972.

LOPES, Jader Janer Moreira; VALENTIM, Silvia Helena; BOGOSSIAN, Thiago. Entre paredes, jardins, solários e salas de atividades: há bebês e crianças por aqui! a espacialização e institucionalização do viver na educação infantil. Debates Em Educação, v. 13, n. 33, p. 240–261, 2021.

LOPES, Jader Janer Moreira. Reminiscências na paisagem: vozes, discursos e materialidades na configuração das escolas na produção do espaço brasileiro. LOPES, Jader Janer Moreira; CLARETO, Sonia Maria (Orgs.). Espaço e Educação: travessias e atravessamentos. Araraquara: Junqueira&Marin, 2007.

LOPES, Jader Janer Moreira; VASCONCELLOS, Tania de. Geografia da Infância: territorialidades infantis. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 1, 103-127, jan./jun., 2006.

LOURAU, René. L’Analyse Institutionnelle. Paris: Les Editions de Minuit, 1970.

MASSEY, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

MONCEAU, Gilles. L’analyse institutionnelle des pratiques, une socio-clinique des tourments institutionnels au Brésil et en France. Paris : L’Harmattan, 2012.

RIBEIRO, Darcy. O livro dos CIEPS. Rio de Janeiro: Bloch, 1986.

RYBA, R. The Geography of Education and Educational Planning. In: ADAMS, Peter; HELLEINER, Frederick. (Ed.) International Geography. Toronto: University of Toronto Press, 1972.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo: razão e emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2014.

SERRA, Ênio; REGUERA, Emilio. Análise espacial da relação entre oferta e demanda por Educação de Jovens e Adultos na cidade do Rio de Janeiro. RUMMERT, Sonia Maria (Org.). Educação de jovens e adultos trabalhadores: história, lutas e direito em risco. Uberlândia: Navegando Publicações, 2019.

VALENTIM, Silvia. Entre gestion et éducation dans la petite enfance au Brésil et en France: des implications professionneles sous tension. Tese (Doutorado em Educação) – Université de Cergy -Pontoise e Universidade Federal Fluminense, Cergy e Niterói, 2016.

Downloads

Publicado

2022-07-29