Estudantes da EJA e o protagonismo escolar

vozes e marcas da exclusão em busca de vida e cidadania

Autores

Palavras-chave:

Educação de Jovens e Adultos, Protagonismo escolar, Exclusão escolar

Resumo

Este texto tem como objetivo compreender a participação dos sujeitos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no processo de escolarização evidenciando o protagonismo escolar. Neste estudo, o protagonismo escolar é analisado sob a perspectiva de Freire (1987) que o compreende como um movimento de tirar os educandos(as) da situação de sujeitos receptores, passivos, vistos como sem conhecimentos, negados e sem reconhecimento pelas instituições de ensino e colocá-los como centro da educação. Pesquisa de abordagem qualitativa, com uso da entrevista semiestruturada, traz resultados que apontam o trabalho como um fator determinante tanto para o afastamento escolar, como para o seu retorno. Fatores associados às questões familiares e de gênero também foram recorrentes na fala dos estudantes. Além de Freire (1987, 2001, 2011, 2015), contribuíram para este estudo Arroyo (2005, 2011, 2017); Gadotti (2011) e Souza (2003).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stefani Tamires Alves Ribeiro Holanda, Universidade Federal de Pernambuco

Mestranda em Educação Contemporânea pela Universidade Federal de Pernambuco. Graduada em Licenciatura de Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco/Centro Acadêmico do Agreste - UFPE/CAA. Membro do Grupo de Pesquisas Transdisciplinares sobre Estética, Educação e Cultura, liderado pelo Profº Drº Mário de Faria Carvalho. Faz parte do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação do Campo e Quilombola GEPECQ - CNPQ, Coordenado pela Profª Drª Maria Fernanda Dos Santos Alencar UFPE. Possui interesse em: Movimento de Cultura Popular; Teoria do Imaginário; Educação de Jovens e Adultos.

Maria Fernanda dos Santos Alencar, Universidade Federal de Pernambuco

Doutorado em Educação (UDELMAR-Chile).Professora adjunta da Universidade Federal de Pernambuco-Centro Acadêmico do Agreste- Núcleo de Formação Docente - curso de Licenciatura em Pedagogia. Professora Colaboradora do Mestrado Profissional de Gestão Pública para o Desenvolvimento do Nordeste (CCSA/UFPE). Líder do Grupo de Pesquisa e Estudos em Educação do Campo e Quilombola (GEPECQ-CNPQ). Integrante do Centro Paulo Freire -Estudos e Pesquisa.Tem experiência na área de Educação com ênfase nas politicas educacionais e formação de professores; atuando principalmente nas seguintes temáticas: Educação do Campo, Educação Quilombola, Educação de Jovens e Adultos, Prática educativa, Saberes docentes e Organização escolar. 

Referências

ANDRADE, Eliane Ribeiro. Os sujeitos educandos na EJA. In: TV Escola, Salto para o Futuro. Educação de Jovens e Adultos: continuar... e aprender por toda a vida. Boletim, 20 a 29 set. 2004. Disponível em:https://resumo.com.br/salto/boletins2004/eja/index.htm. Acesso em: 05 mar.2019.

ARAÚJO, Maria Nalva Rodrigues de. Educação de Jovens e Adultos (EJA). In: Dicionário da educação do campo. CALDART, Roseli. Salete. et al. (Orgs.) Rio de Janeiro, São Paulo: Escola politécnica de Saúde Joaquim Venâncio: Expressão Popular, 2012.

ARROYO, Miguel Gonzáles. Passageiros da noite: do trabalho para a EJA: itinerários pelo direito de uma vida justa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

ARROYO, Miguel Gonzáles. Currículo, território em disputa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

ARROYO, Miguel Gonzáles. A educação de jovens e adultos em tempos de exclusão. In: CONSTRUÇÃO COLETIVA: contribuições à educação de jovens e adultos. Brasília: UNESCO:Ministério da Educação: RAAAB,2005.

BARDIN, Laurence. Análise do conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996.Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm> Acesso em: 11 dez.2019.

BRASIL. Parecer CNE/CEB 11/2000.Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. 2000. Disponível em <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/pceb011_00.pdf>. Acesso em 10 dez. 2019

BRASIL. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Desafios da Educação de Jovens e Adultos no Brasil.Documento Base Nacional Preparatório à VI CONFINTEA. Brasília, setembro 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/confitea_docbase.pdf. Acesso em 10 dez 2019.

BRUNEL, Carmen. Jovens cada vez mais jovens na educação de jovens e adultos. Porto Alegre: Mediação, 2004.

CORDEIRO, Denise. Juventude nas sombras: escola, trabalho e moradia em territórios de precariedades. Rio de Janeiro: Lamparina: FAPERJ, 2009.

FONSECA, Maria da Conceição Ferreira Reis. Educação matemática e EJA. In: CONSTRUÇÃO COLETIVA: contribuições à educação de jovens e adultos. Brasília: UNESCO:Ministério da Educação: RAAAB, 2005.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro:Paz e Terra,1997.

FREIRE, Paulo. A educação na cidade. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, Paulo. A ação cultural para a liberdade e outros escritos. 15. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

FREIRE, Paulo. Educação de adultos: algumas reflexões. In: GADOTTI, Moacir; ROMÃO, José E. (Orgs). Educação de jovens e adultos: teoria, prática e propostas. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

GADOTTI, Moacir. Educação de adultos como direito humano. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2009. (Cadernos de Formação; 4)

GADOTTI, Moacir; ROMÃO, José Eustáquio. (Orgs). Educação de jovens e adultos: teoria, prática e propostas. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

IBGE Educa. Jovens. Disponível em https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18317-educacao.html. Acesso em mar. 2019.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. 2009. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2013-agencia-de-noticias/releases/18992-pnad-continua-2016-51-da-populacao-com-25-anos-ou-mais-do-brasil-possuiam-apenas-o-ensino-fundamental-completo.html. Acesso em: 01 fev. 2020.

INEP. Censo Escolar,2016. Brasília, DF, 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/fevereiro-2017-pdf/59931-app-censo-escolar-da-educacao-basica-2016-pdf-1/file. Acesso em: 11 dez.2019.

LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARTINS, Ângela Maria Flôres de Jesus; MELO,Ferdinando Santos. O papel da gestão democrática frente àevasãoescolar na educação de jovens eadultos.In: PARENTE, Cláudia da Mota Darós; PARENTE, Juliano Mota. (Orgs.). SEMINÁRIO NACIONAL DE POLÍTICA E GESTÃO DA EDUCAÇÃO, 2, 2012, Itabaiana, Sergipe. Cadernos de Trabalho. p.405-422. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/197148738.pdf. Acesso em: 10 fev. 2020.

MOLL, Jaqueline (Org.). Educação de jovens e adultos. Porto Alegre: Mediação, 2004.

NARVAZ, Martha Giudice; SANT’ANNA, Sita Mara Lopes; TESSELER, Fani Averbuh. Gênero e Educação de Jovens e Adultos: A histórica exclusão das mulheres dos espaços de saber-poder. DIÁLOGO, Canoas, n. 23, p. 93-104, ago. 2013. Disponível em: http://www.revistas.unilasalle.edu.br/index.php/Dialogo . Acesso em: 10 fev. 2020.

OLIVEIRA, Marta Kohl. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, n. 12, p. 59-73, set./dez., 1999. Disponível em: http://anped.tempsite.ws/novo_portal/rbe/rbedigital/RBDE12/RBDE12_06_MARTA_KOHL_DE_OLIVEIRA.pdf . Acesso em: 01 mar.2020

SCOTT, Joan Wallach. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/download/71721/40667. Acesso em: 15 mar. 2019.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed.São Paulo: Cortez, 2010.

SILVA, Edna Lúcia da; MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2001. Disponível em: http://cursos.unipampa.edu.br/cursos/ppgcb/files/2011/03/Metodologia-da-Pesquisa-3a-edicao.pdf . Acesso em: 10 nov.2019.

SOUZA, João Francisco de. Proposta pedagógica: educação de jovens e adultos. Núcleo de Ensino: Pesquisa e Extensão em Educação de Jovens e Adultos e em Educação Popular. Recife, 2003.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Edição

Seção

Artigos