A avaliação das aprendizagens

significações constituídas pelas coordenadoras pedagógicas, professores e estudantes de uma escola pública do Distrito Federal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1984-5499.2020.v22.30435

Palavras-chave:

Avaliação da aprendizagem, Avaliação formativa, Trabalho pedagógico

Resumo

Este estudo está ligado à minha dissertação de mestrado, na qual estudei a avaliação das aprendizagens. Seu objetivo consiste em analisar as significações constituídas por professores, estudantes e coordenadores pedagógicos acerca da avaliação das aprendizagens no 3º ciclo. A metodologia é qualitativa, e a perspectiva é a crítico-dialética. Utilizei como procedimentos e instrumentos a análise documental, as entrevistas semiestruturadas, o grupo focal e observações de aulas. A análise das narrativas se deu a partir dos Núcleos de Significação. A pesquisa revelou que há a compreensão do sentido da avaliação formativa, perspectiva adotada pela Rede Pública de Ensino do Distrito Federal, porém o discurso, às vezes, se distancia da prática, indicando uma avaliação, possivelmente, mais voltada para a aprovação e reprovação do estudante.

Referências

Referências

AGUIAR. Wanda Maria Junqueira; OZELLA, Sergio. Apreensão dos sentidos: aprimoramento dos núcleos de significação. Brasília: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 94, n. 236, p. 299-322, jan. /abr. 2013.

______. Núcleos de significação como instrumento para a apreensão da constituição dos sentidos. Brasília: Psicologia: ciência e profissão, v. 26, n. 2, p. 222-245, jun. 2006.

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira et el. Núcleos de significação: uma proposta histórico-dialética de apreensão das significações. Cadernos de pesquisa, v. 45, n. 155, p. 56-75, jan./mar. 2015.

ALAVARSE, Ocimar Munhoz. A organização do ensino fundamental em ciclos: algumas questões. Rio de Janeiro: Revista Brasileira de Educação v. 14, nº 40, jan./abr. 2009, p. 35-50.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB 4024. 20 de dezembro de 1961. Disponível em: <https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/108164/lei-de-diretrizes-e-base-de-1961-lei-4024-61> Acesso em: 29 maio 2020.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB 5692. 11 de agosto de 1971. Disponível em: < https://www.jusbrasil.com.br/topicos/12124418/lei-n-5692-de-11-de-agosto-de-1971> Acesso em: 29 maio 2020

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB 9394. 20 de dezembro de 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm> Acesso em: 29 maio 2020.

BOURDIEU, Pierre. O Campo Científico. In: ORTIZ, Renato (org.). Bourdieu – Sociologia. São Paulo: Ática. Coleção Grandes Cientistas Sociais, vol. 39, 1983, p. 122-155.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean Claude. Trad. Reynaldo Bairão. A reprodução. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

DISTRITO FEDERAL. Diretrizes pedagógicas para organização escolar do 3º ciclo. Brasília, SEEDF/SUBEB, 2014a.

______. Diretrizes de Avaliação Educacional: aprendizagem, institucional e em larga escala. Brasília, SUBEB, SUPLAV, 2014b.

______. Currículo em Movimento da Secretaria da Educação Básica: Ensino Fundamental – Anos Iniciais. Brasília, 2014c.

______. (Brasil). Secretaria de Estado de Educação. Regimento Escolar da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal, 6ª Ed – Brasília, 2015.

ESTEBAN, Maria Teresa. A avaliação no cotidiano escolar. In: ESTEBAN, Maria Teresa (Org.). Avaliação: uma prática em busca de novos sentidos. 4 ed. , Rio de Janeiro: DP &A, 2002, p. 7-28.

FONTENELE, Gilcéia Leite dos Santos. A avaliação no 3º ciclo e suas implicações na organização do trabalho pedagógico de uma escola pública do Distrito Federal. Dissertação de Metrado. Universidade de Brasília – UnB. Brasília – DF, 2019.

FREITAS, Luiz Carlos de. (Et al.). Avaliação Educacional: caminhando na contramão. 7º ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

GAMBOA, Silvio Sánchez. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. Chapecó: Argos, 2006. Disponível em: <https://www.google.com.br/search?source=hp&ei=vBgJXJbfK8OkwgS4trOQBA&q=pesquisa+em+educa%C3%A7%C3%A3o%3A+m%C3%A9todos+e+epistemologias+pdf&oq=&gs_l=psyab.1.0.35i39l6.0.0..4236...2.0..0.0.0.......0......gws-wiz.....6.sD6T0k3StAk>. Acesso em: 06 dez. 2018.

HADJI, Charles. Avaliação desmistificada. Trad. Patrícia C. Ramos, Porto Alegre: Artmed, 2001.

LOCH, Jussara Margareth de Paula. Avaliação na escola cidadã. In: ESTEBAN, Maria Tereza (Org.). Avaliação: uma prática em busca de novos sentidos. 4ª ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002, p. 129-142.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem na escola: reelaborando conceitos e recriando a prática. 2 ed. Salvador: Malabares Comunicação e eventos, 2005.

______. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22ª ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmozo Afonso de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E. P. U., 1986.

LUIS, Suzana Maria Barrios. De que avaliação precisamos em Arte e Educação Física. In: SILVA, Janssen Felipe da et al. Práticas avaliativas e aprendizagens significativas em diferentes áreas do currículo. Porto Alegre: Mediação, 2008.

SILVA, Flávia Gonçalves da. Subjetividade, individualidade, personalidade e identidade: concepções a partir da psicologia-cultural. São Paulo: Psicologia da Educação, n. 28, 1º semestre de 2009, p. 169-195. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psie/n28/v28a10.pdf>. Acesso em: 06 maio 2019.

SOUZA, Sandra M. Zákia L.; ALAVARSE, Ocimar Munhoz. A avaliação nos ciclos: a centralidade da avaliação. In: FREITAS, Luiz Carlos de (Org.). Questão de avaliação educacional. Campinas, SP: Komedi, 2003, p. 71-96.

VILLAS BOAS. Benigna Maria de Freitas. Virando a escola do avesso por meio da avaliação. Campinas, SP: Papirus, 2008.

______. A avaliação nos ciclos: o debate. In: FREITAS, Luiz Carlos de (Org.). Questão de avaliação educacional. Campinas, SP: Komedi, 2003, p. 97-145.

______. (Org.). Avaliação: Interações com a trabalho pedagógico. Campinas, SP: Papirus. 2017.

Downloads

Publicado

2020-11-30

Edição

Seção

Artigos