O recurso à observação como estratégia de formação inicial docente

notas de campo e outros registos

  • Isabel Cabrita Condessa Universidade dos Açores
Palavras-chave: Professores do 1.º ciclo. Profissionalização. Observação. Potencialidades e limitações., Primary school teachers. Professionalization. Observation. Potentialities and limitations., Profesores de primaria. Profesionalización. Observacion. Potencialidades y limitaciones.

Resumo

Com este artigo, temos como propósito conhecer as potencialidades e limitações da utilização da observação nos estágios pedagógicos do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Após uma breve passagem pelos relatórios de estágio, com temática de aprofundamento no âmbito das Expressões (Artísticas e Físico-Motoras) e do recurso à Pedagogia Lúdica - duas temáticas investigadas pelos estagiários de uma mesma instituição, entre 2014 e 2018. Como instrumento usámos a análise documental - das atividades planeadas, desenvolvidas e das reflexões partilhadas no relatório. Da análise de conteúdo efetuada, sublinhamos as potencialidades da observação nas “notas” deixadas sobre três situações de estágio: compreensão do contexto educativo, reajuste da intervenção pedagógica e aprofundamento da temática. As limitações prenderam-se mais com a falta de treino de observação, a escassez do uso de grelhas e falta de coerência entre os discursos e as práticas dos profissionais.

Referências

ALARCÃO, Isabel & ROLDÃO, Maria do Céu. Supervisão. Um contexto de desenvolvimento profissional dos professores. Mangualde: Ed. PEDAGOGO, LDA, 2008.
ALARCÃO, Isabel. Formação Reflexiva de Professores. Estratégias de Supervisão. Col. CIDInE. Porto: Porto Editora,. 2005.
ALONSO, Luísa, & ROLDÃO, Maria do Céu. Ser professor do 1º ciclo: construíndo a profissão. Coimbra: Ed. Almedina, 2005.
BOGDAN, Robert & BIKLEN, Sari. Investigação Qualitativa em Educação. Coleção Ciências da Educação. Porto: Porto Editora, 1994.
CONDESSA, Isabel Cabrita, PEREIRA, Vânia, PEREIRA, Beatriz. A importância da atividade lúdica na escola. Da perspetiva dos professores à realidade viivida. In: TREVISOL, Maria Teresa Ceron, FELDKERCHER, Nadine e PENSIN; Daniela Pederiva (Org.). Diálogos sobre a formação docente e práticas de ensino. 1.ªed. Campinas, SP : Mercado de Letras, 2019. p. 225-247.
CONDESSA, Isabel. Olhares sobre o papel do jogo nas aprendizagens escolares. Relatos de Estagiários a Educadores de Infância e Professores do 1.º CEB. In: PINHAL, João; COSTA, F. & FARIA, Rita (Org.). As Pedagogias na Sociedade Contemporânea – Desafios às escolas e aos educadores. Atas do XXIII Colóquio da AFIRSE Portugal. Lisboa: AFIRSE Portugal. Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2017. p. 266-276.
DE KETELE, Jean Marie; ROEGIERS, Xavier. Metodologia da recolha de dados. Lisboa. Instituto Piaget, 1993.
DEAN, Joan. Improving children’s learning. Effective teaching in the primary school. 1st Pub. Newyork: Routledge, 2000.
Decreto-lei n.º 79/2014, de 14 de maio. Aprova o regime jurídico da habilitação profissional para a docência na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário. Disponível em: https://data.dre.pt/eli/dec-lei/79/2014/05/14/p/dre/pt/html. Acesso em: 28 nov. 2019.
ESTRELA, Albano. Teoria e prática da observação de classes. Uma estratégia de formação de professores. Porto: Porto Editora, 2008.
GRAÇA, Anabela; DUARTE, António Pedro; LAGARTIXA, Custódio; TCHING, Dalila; TOMÁS, Isabel; ALMEIDA, João; DIOGO, José; NEVES, Paula; SANTOS, Rosa. Avaliação de Desempenho Docente. Lisboa; Lisboa Editora, S.A., 2011.
PERRENOUD, Philippe. A prática reflexiva: no ofício do professor. Porto Alegre: ARTMED Editora, 2002.
PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: ARTMED Editora, 2000.
PIRES, Eurico Lemos. Lei de Bases do sistema Educativo. Apresentação e Comentários. Porto: Edições ASA, 1987.
POSTIC, Marcel. Observação e Formação de Professores. Coimbra: Almedina, 1990.
RIBEIRO GONÇALVES, Fernando. A auto-observação e análise da relação educativa. Col. CIDInE. Porto: Porto Editora, 2006.
Publicado
2020-06-30