Desvios fonéticos/fonológicos

ditongação na escrita – proposta didática para mediação

  • Douglas Rafael Fachinello Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
  • Maria Elena Pires Santos Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
  • Cinthia Nayara de Lima Rafagnin Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
Palavras-chave: Oralidade na escrita., Ditongação., Intervenção.

Resumo

Este artigo apresenta uma análise sincrônica de desvios ortográficos do tipo ditongação, encontrados nas produções textuais de alunos dos sétimos anos do Ensino Fundamental de colégios públicos. O referencial teórico que nos embasamos está pautado em trabalhos dos autores Cagliari (2002), Cristófaro Silva (2005), Zorzi (2006), entre outros.  Ao verificar que as ocorrências desses desvios representam a transcrição das falas das comunidades em que os alunos estão inseridos, propusemos, a elaboração de uma unidade didática com atividades para possíveis intervenções pedagógicas que pudessem amenizar suas ocorrências. O resultado foi que os alunos começaram a monitorar a escrita e também a fala durante as aulas e a sugerir situações nas quais os colegas também deveriam gerenciá-las, porque criaram consciência do monitoramento, em decorrência do ambiente. A conclusão é que a unidade didática, se valendo de situações cotidianas, deu sentido à aquisição do processo de monitoramento da escrita e também da fala em situações específicas.

Biografia do Autor

Douglas Rafael Fachinello, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Possui graduação em Letras Português e Espanhol pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2005), tendo como trabalho final de curso a pesquisa intitulada Ficcionalização da Guerra do Paraguai em A solidão segundo Solano López, sob orientação do Professor mestre Flávio Pereira. É pós-graduado pela mesma instituição, em Linguagem, Cultura e Ensino (2008), tendo realizado seu trabalho de pesquisa em Literatura e História, com a pesquisa intitulada Representações do período pré-guerra do Paraguai em Um Farol do Pampa, sob orientação da professora Doutora Clara Angélica Augustina Suarez Cruz. Posteriormente realizou a segunda especialização pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, em Métodos e Técnicas de Ensino, tendo realizado seu trabalho de pesquisa em Mídias na Educação – Uso do documentário Uma verdade inconveniente para produção audiovisual de opinião, sob orientação da professora mestre Maria de Fátima Menegazzo Nicodem. Atualmente é professor do Quadro Próprio do Magistério - Secretaria de Estado da Educação do Paraná; é aluno do Mestrado Profissional em Letras Pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná e; faz parte do grupo de pesquisa Ressignificações do Passado na América e do grupo Políticas Linguísticas, Multiletramentos e Formação do Professor em contexto plurilíngue/pluricultural.

Maria Elena Pires Santos, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Possui graduação em Português e Francês pela Universidade Federal de Uberlândia (1972), mestrado em Letras pela Universidade Federal do Paraná (1999) e doutorado em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (2004) e pós-doutorado pela UNICAMP e pela UFSC. É professora Associada C da Unioeste, dos Cursos de Letras Português/Espanhol e Português/Inglês, do Mestrado/Doutorado em Sociedade, Cultura e Fronteiras, do Mestrado e doutorado em Letras e do Profletras, pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná.Atualmente é coordenadora do GT da ANPOLL Transculturalidade, Linguagem e Educação. É líder do Grupo de Pesquisa Estudos Interdisciplinares: Políticas Linguísticas, Diversidades e Fronteiras e é membro da linha pesquisa Linguagem, Cultura e Ensino e da Linha de Pesquisa Práticas Linguísticas, Cultura e Ensino, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Atua na área da Linguística Aplicada, com ênfase em pluralidade linguística e cultural, ensino, políticas linguísticas e formação de professores.

Cinthia Nayara de Lima Rafagnin, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras, Nível de Mestrado Profissional em Letras - PROFLETRAS- Bolsista CAPES. Graduada em Letras - Português e Espanhol pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2012). Possui especialização em Neuropedagogia pela Faculdade Iguaçu - Instituto São Francisco de Assis (2013). Atua como professora de Língua Portuguesa e Espanhola no Ensino Fundamental e Médio - Secretaria de Educação do Estado do Paraná.

Referências

ARAGÃO, Maria do Socorro Silva. Ditongação X Monotongação no falar de Fortaleza. Revista Graphos, v. 5, n. 1, 2000.

BORONAS, Joyce Elaine de Almeida. Marcas de oralidade no texto escrito. Signum: Estudos Lingúisticos, Londrina, v.12, nº1, p. 15-32, jul. 2009.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Nós cheguemu na escola e agora?: sociolingüística e educação. São Paulo: Parábola, 2005.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização e ortografia. Curitiba: Editora UFPR, 2002.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Disponível em https://censo2010.ibge.gov.br/. Acesso em maio de 2019.

LEITE, Yonne; CALLOU, Dinah. Como falam os brasileiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002.

NEVES, Flávia. Norma Culta. Disponível em: https://www.normaculta.com.br/norma-culta/ Acesso em: 13 jul. 2019. NÓS DOIS. [Compositor e interprete]: Cartola. Disponível em: https://www.cifraclub.com.br/cartola/nos-dois/letra/ Acesso em: 15 jul. 2019.

NÓS VAMOS INVADIR SUA PRAIA. [Composição]: Roger Moreira. [Interprete]: Pitty. Disponível em: https://www.letras.mus.br/pitty/1400733/ Acesso em 15 jul. 2019.

O QUE SERÁ QUE NÓIS NÃO TEM. [Compositor e interpretes]: João Carreiro e Capataz. Disponível em:
https://www.vagalume.com.br/joao-carreiro-capataz/o-que-sera-que-nois-nao-tem.html Acesso em: 15 jul. 2019.

SANTOS, Claudinei Marques; ALMEIDA, Miguél Eugênio; RODRIGUES, Marlon Leal. Monotongação e Ditongação no Português: um estudo diacrônico. Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul. VII SENEFIL, 2015. Disponível em: http://www.filologia.org.br/vii_sinefil/

SILVA, Thaís Cristófaro. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 8. ed. – São Paulo: Contexto, 2005.

ZORZI, Jaime Luiz. Alterações ortográficas nos transtornos de aprendizagem. In Maluf, M. I. (org.). Aprendizagem: traumas do conhecimento, do saber e da subjetividade. Rio de Janeiro: Vozes; São Paulo: ABPp, 2006, 144-162.
Publicado
2020-11-30
Seção
Artigos