Alfabetização e letramento da matemática na perspectiva da inclusão

  • Adrianny Costa da Silva Escola de Aplicação da UFPA
  • Josianne Teles de Abreu Coqueiro
Palavras-chave: letramento., Matemática, Inclusão

Resumo

Este estudo tem por objetivo refletir sobre o processo de alfabetização e letramento da matemática na perspectiva da inclusão, e apresentar os conceitos de alfabetização e letramento da matemática; discorrer sobre o percurso histórico da Educação Inclusiva; e, sugerir métodos para o ensino da matemática inclusiva elencando atividades já escritas em outros estudos. Trata-se de uma pesquisa de natureza bibliográfica, qualitativa e explicativa, mediada pelas discussões de Machado (1990); D’Antonio(2004); Soares (2003); Mazzotta (2005); Brasil (2001); Ramos (2010); Serino (2011); Silva (2012); Kranz (2017) que abordam a temática. Com finalidade de elucidar a importância de aplicar atividades que oportunizem a alfabetização e o letramento em matemática, tecemos algumas considerações sobre a [re]construção do conhecimento matemático baseado na perspectiva inclusiva. Considerou-se que o letramento na matemática pode ocorrer mediante práticas diversas de ensino, incluindo novas formas de ensinar e aprender.

Referências

AGUIAR, G. da S., ORTIGÃO, M. I. R. Letramento em Matemática: um estudo a partir dos dados do PISA 2003. Bolema [online]. 2012, vol.26, n.42a, pp.1-22. ISSN 0103-636X.

BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Educação Especial (SEESP). Programa de Capacitação de Recursos Humanos do Ensino Fundamental: Deficiência Visual vol. 1 e 2. Brasília, 2001. Disponível em: Acesso em: 20 ago. 2018.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC, 2008. Disponível em: < http://peei.mec.gov.br/arquivos/politica_nacional_educacao_especial.pdf> Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Proposta preliminar. Segunda versão revista. Brasília: MEC, 2016.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: matemática / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1996.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. 292 pp. Disponível em: Acesso em: 18 out. 2018.

DANYLUK, O. S. Um estudo sobre o significado da alfabetização matemática. Dissertação de Mestrado. Rio Claro (SP): IGCE-UNESP, 1988.

DANTE, Luiz Roberto. Didática da Resolução de Problemas de Matemática. 12ª edição. São Paulo: Ática, 2005.

D’ ANTONIO, S. R. Linguagem e educação matemática: uma reação conflituosa no processo de ensino? Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Maringá. Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência e o Ensino da Matemática, 2006.

FIORENTINI, Dario. Alguns modos de ver e conceber o ensino de matemática no Brasil. In: Zetetiké, Ano 3, nº 4, p. 1-37, 1995.

FONSECA, M. C. F. R. (Org.). Letramento no Brasil: habilidades matemáticas. São Paulo: Global, 2004.

GUIMARÃES, A. A inclusão que funciona. Nova Escola: a revista do professor. São Paulo: 2003.

KRANZ, Cláudia R. Os jogos com regras na perspectiva do Desenho Universal: contribuições à Educação Matemática Inclusiva. 2014. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de PósGraduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014. Disponível em: Acesso em: 12 set. 2018.

KRANZ, Cláudia R. Matemática inclusiva: o desenho universal e os jogos com regras. 2017. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2018.

MACHADO, N. J. Matemática e Língua Materna: Análise de uma impugnação mútua. São Paulo: Cortez, 1990.

MAZZOTTA, Marcos José Silveira. Educação especial no Brasil: História e políticas públicas. 5º. ed. – São Paulo: Cortez, 2005.

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. Educação e Letramento. São Paulo: UNESP, 2004.

PESSOA, Marilia de Abreu. O Lúdico Enquanto Ferramenta no Processo Ensino – Aprendizagem. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Educação Física Escolar) - Instituto de Educação Física e Esportes, UFC, Fortaleza, 2012.

RAMOS, Rossana. Passos para a inclusão. 5ª ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Heliel Ferreira dos. Simetria e reflexão: investigações em uma escola inclusiva. 2012. 132f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Bandeirante de São Paulo. São Paulo. p. 45-48. Disponível em: . Acesso em 12 set 2018.

SASSAKI Romeu Kazumi. Inclusão: Acessibilidade no lazer, trabalho e educação. 2009. Disponível em: Acesso em: 09 out 2018

SERINO, A. P. A. (2011). Uma abordagem inclusiva para transformações geométricas: o caso de alunos cegos. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). UNIBAN, São Paulo. Disponível em: Acesso em: 11 set 2018.

SILVA, G. G. (2012). Dissertação de Mestrado. O ensino de matrizes: um desafio mediado para aprendizes cegos e aprendizes surdos. UNIBAN. São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 11 set 2018.

SOARES, M. B. O que é letramento. Diário do grande ABC, Santo André, São Paulo, 2003.
Publicado
2020-04-15
Seção
Artigos