Da resistência do “olhar” ao olhar para a resistência

subsídios ao exercício de uma docência inclusiva diante de alunos com problemas específicos de aprendizagem

Palavras-chave: Educação inclusiva, Docência, Problemas específicos de aprendizagem

Resumo

Este estudo objetivou auxiliar o professor da sala de aula regular a construir reflexões acerca de suas práticas e angariar possibilidades à concretização de uma educação inclusiva. Assim, propôs-se a discutir sobre os conceitos envolvidos no fenômeno em questão e sobre os paradigmas que tentam explica-lo – o paradigma do fracasso escolar e o da resistência, esse último aportado nos conceitos de relações de poder e de resistência em Foucault. Qualquer das opções exigirá um posicionamento epistemológico. Para os que optarem pelo paradigma da resistência, cabe entender que nossos projetos pedagógicos estão imersos em relações de poder, constituindo-se em textos situados política e historicamente, que produzem significados e subjetivações. Deste outro ‘lugar de olhar’, posturas inclusivas são fundamentais, graças à consciência de sua importância à aprendizagem de nossos alunos.

Biografia do Autor

Cláudia Terra do Nascimento Paz, IFRS, Campus Farroupilha

Docente efetiva na área da Pedagogia, IFRS, Campus Farroupilha

Débora Zeni Vargas, IFRS, Campus Farroupilha
Acadêmica do Curso de Formação de Professores, do IFRS, Campus Farroupilha
Publicado
2020-04-15
Seção
Artigos