MÍDIA E ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: RELATO DE EXPERIÊNCIA DE UMA PROPOSTA PARA SALA DE AULA

  • Luciane Da Costa Brandão Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Ana Cristina Cristina Atala Alves Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Danielle Luciana Aurora Soares do Amaral Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Cristiane Gonçalves de Oliveira Fialho Universidade Federal de Juiz de Fora
Palavras-chave: Alimentação saudável, Adolescentes, Mídia

Resumo

Este trabalho trata-se de um relato de experiência realizado com alunos do segundo ano do ensino médio de uma escola pública da cidade de Vassouras. O objetivo do trabalho foi promover a reflexão sobre a importância de bons hábitos alimentares, discutir a influência da mídia na alimentação dos jovens e demonstrar que a má alimentação pode provocar sobrepeso, obesidade e até doenças crônicas como diabetes e doenças cardiovasculares. Participaram do projeto 100 alunos de ambos os sexos, com idades entre 16 e 21 anos. Para alcançar os objetivos propostos foi solicitado que os alunos escrevessem uma redação sobre alimentação saudável, e com base nos conhecimentos prévios dos alunos trabalhamos o tema “Mídia e alimentação saudável” nas aulas juntamente com o conteúdo de biologia proposto no currículo mínimo do estado do Rio de Janeiro que é macronutrientes, micronutrientes e metabolismo energético. A experiência permitiu que pudéssemos trabalhar as dúvidas e os assuntos que os adolescentes desconheciam, por exemplo, as informações dos rótulos. Dos resultados obtidos, percebemos que os alunos sabiam o que significa alimentação saudável, mas possuíam muitas dúvidas quanto ao tema. Em referência à mídia, a maioria dos estudantes afirmaram que ela interfere em suas vidas e em suas escolhas. Acreditamos que o tema deveria ser trabalhado também com os familiares, visto que as mães, na maioria das vezes, são as responsáveis pela alimentação dos adolescentes, e que escolhas mal feitas podem acarretar problemas de saúde no futuro.

Biografia do Autor

Luciane Da Costa Brandão, Universidade Federal de Juiz de Fora
Licenciatura em Ciências Biológicas, Especialista em Ciências Biológicas (Ensino de Biologia)
Ana Cristina Cristina Atala Alves, Universidade Federal de Juiz de Fora

Ana Cristina Atala Alves

Bióloga. Especialista em Educação. Mestra em Botânica. Doutora em Ecologia. Universidade Federal de Juiz de fora. 

Danielle Luciana Aurora Soares do Amaral, Universidade Federal de Juiz de Fora
Bióloga, Mestra em Ciências Biológicas, Doutora em Ciências Biológicas (Genética e Biotecnologia)/ 
Cristiane Gonçalves de Oliveira Fialho, Universidade Federal de Juiz de Fora

Nutricionista, Mestra em ciência da Nutrição, Doutora em Ciência e Tecnologia de Alimentos 

Referências

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA ALIMENTAÇÃO INFANTIL. São Paulo: Unisepe, v. 35, 2016. Disponível em: <http://unifia.edu.br/revista_eletronica/revistas/saude_foco/artigos/ano2016/035_influencia_midia_alimentacao_infantil.pdf>. Acesso em: 22 jul. de 2018.

BAR-OR, O.; ROWLAND, T. Pediatric exercise medicine: from physiologic principles to health care application. United States: Human Kinetics, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira – 2. ed. Brasília : Ministério da Saúde, 2014. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf> Acesso em: 09 mai. de 2018

CUPPARI, L. (coord). Guia de Nutrição: Nutrição Clínica no Adulto. Barueri, SP: Manole, 2002.

DIETZ, W. H.; GORTMAKER, S. L. Do we fatten our children at the television set? Obesity and television viewing in children and adolescents. Pediatrics, 75: 807-12, 1985.

FARTHING, M. C. Padrões alimentares atuais de adolescentes nos Estados Unidos. Nutrition Today, Baltimore, v.26, n.2, p.35-39, 1991.

FEIJÓ R. B., SUKSTER E. B., FRIEDRICH L., FIALHO L., DZIEKANIAK K. S., CHRISTINI D. W, et al. Estudos de hábitos alimentares em uma amostra de estudantes secundaristas de Porto Alegre. Pediatria 1997; 19(4): 257-62

FEITOSA, E. P. S. et al. Hábitos Alimentares de Estudantes de uma Universidade Pública no Nordeste, Brasil. Alimentos e Nutrição., Araraquara, SP, v. 21, p.225-230, abr./jun. 2010. Disponível em: <http://serv-bib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/alimentos/article/download/1185/a8v21n2.pdf>. Acesso em: 15 jun. 2017.

GARCIA, R. W. D. Práticas e comportamento alimentar no meio urbano: um estudo no centro da cidade de São Paulo. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.13, n.3, p. 455-467, jul./set. 1997

GARCIA, R. W. D. Reflexos da globalização na cultura alimentar: considerações sobre as mudanças na alimentação urbana. Revista de Nutrição. [online]. v. 16, n. 4, p.483-492, dez. 2003. FapUNIFESP (SciELO). Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-52732003000400011&script=sci_abstract&tlng=pt> Acesso em: 06 mai. 2018.

GORTMAKER. L.; MUST. A.; SOBOL. A.; PETERSON. K.; COLDITZ. G.; DIETZ. W.; Television viewing as a cause of increasing obesity among children in the United States, 1986-1990. Arch pediatr adolesc med. 1996; 150(4), 356-362.

JONES, S.C .; REID, A. Revistas infantis: recursos de leitura ou ferramentas de marketing de alimentos? Nutrição em Saúde Pública, v.13, n.3, p.393-399, 2009.

MALIK, V. S. et al Bebidas açucaradas e risco de síndrome metabólica e diabetes tipo 2: uma meta-análise. Diabetes Care. 2010 nov. 33 (11): 2477-83.

MONTEIRO, C. The big issue is ultra-processing. The price and value of meals. World Nutrition, Nov. 2010; 1, 6: 237-269.

MONTEIRO, C. A.; CANNON, G.; LEVY, R. B.; MOURABAC, J-C.; JAIME, P.; MARTINS, A. P. B.; CANELLA, D.; LOUZADA, M. L.; PARRA, D. NOVA. A estrela brilha. World Nutrition, v. 7, n 1-3, p. 28-40, 2016. Disponível em: <https://worldnutritionjournal.org/index.php/wn/article/view/5> Acesso em: 06 mai. 2018.

OMS, Organização Mundial de Saúde - Global Status Report On Noncommunicable Diseases 2014. Disponível em: <http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/148114/9789241564854_eng.pdf;jsessionid=0167D937C8E0AA6535A505766853DDAF?sequence=1> Acesso em: 30 mar. 2018.

OMS, Organização Mundial de Saúde- Obesidade: prevenção e controle e epidemia global. Relatório da Consultoria da OMS. São Paulo: Roca; 2004.

OMS, Organização Mundial de Saúde. Saúde dos jovens - um desafio para a sociedade. Relatório de um Grupo de Estudo da OMS sobre Jovens e Saúde para Todos. Relatório Técnico Série 731. Genebra: OMS, 1986.

OMS, Organização Mundial de Saúde. Diretriz: Ingestão de açúcares por adultos e crianças. Genebra, 2015. 13 f. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/images/stories/GCC/ingestao de açúcares por adultos e criancas_portugues.pdf>. Acesso em: 06 mai. 2018.

PRESIDENCIA DA REPÚBLICA. Consea. FAO e OPAS Lançam Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional. Disponível em <http://www4.planalto.gov.br/consea/comunicacao/noticias/2017/fao-e-opas-lancam-panorama-da-seguranca-alimentar-e-nutricional> Acesso em: 15 jun. de 2017.

SANTOS, N. da S.; COSTA, F. de J. C.; CHAVES, A. C. L. Análise do potencial efetivo de ensino aprendizagem de pirâmides alimentares utilizadas no Brasil do ponto de vista dos adolescentes. In: VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2011. Disponível em: . Acesso em: mar. 2018.

SANTOS, S. L. Influência da propaganda nos hábitos alimentares: análise de conteúdo de comerciais de alimentos da televisão. 2007. 163 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Departamento de Engenharia de Produção, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2007.

SANTOS, L. A. S.; Educação alimentar e nutricional no contexto da promoção de práticas alimentares saudáveis. Revista de Nutrição, v.18, n.5, Campinas sept./oct. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732005000500011> Acesso em: 10 mai. 2018.

SONATI, J. G; A alimentação e a Saúde do Escolar. Alimentação, Atividade Física e Qualidade de Vida dos Escolares do Município de Vinhedo /SP. Campinas: Ipes Editorial, 2009. p. 31- 37.

Publicado
2020-06-02