A MOÇA TECELÃ: REVELANDO FIO A FIO O AVESSO DA PALAVRA

  • Maria Aparecida de Fátima Miguel Universidade Estadual do Norte do Paraná
  • Carla Francine da Silva Reis Instituto Federal do Paraná, campus Londrina

Resumo

Este artigo objetiva realizar uma abordagem sobre a produção de Marina Colasanti e a análise do conto “A moça tecelã” apontando na obra os traços do feminismo. Abordaremos o movimento e os momentos cruciais para a conquista dos direitos das mulheres, sobretudo o de usufruir, em igualdade, dos mesmos delegados aos homens. Serão abordadas as fases pelas quais passaram o feminismo, quando então as mulheres lutavam por carga igualitária de trabalho bem como salários equivalentes, além da busca pelo direito ao voto. Em última instância será feita a análise do conto supracitado. Como pressupostos teóricos foram utilizados críticos a citar Jung (1875) Beauvoir (1908), Sartre (1905), Coelho (1922), Oliva (2011), entre outros.

 Palavras-chave: Mariana Colasanti. Literatura de Autoria Feminina. Interdiscursividade. A moça tecelã.

Referências

BRAITH, Beth (org.). Bakthin: outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2006.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo:fatos e mitos. Tradução Sérgio Milliet. SãoPaulo: Nova Fronteira, 1980. v. 1.

______. O segundo sexo: a experiência vivida. Tradução Sérgio Milliet. São Paulo: Nova Fronteira, 1980. v. 2.

CHEVALIER Jean; GHEERBRANT Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012.

COELHO, Nelly Novaes. Dicionário crítico da literatura infantil e juvenil brasileira. 5. ed. São Paulo: Nacional, 2006.

COLASANTI, Marina. Os doze reis e a moça no labirinto do vento. 12. ed. São Paulo: Global, 2015.

______. A nova mulher. Rio de Janeiro: Nórdica, 1990.

______. Contos de amor rasgados (contos). Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

______. Gargantas abertas (poesia). Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

______. Intimidade pública (coletânea de artigos). Rio de Janeiro: Rocco, Nórdica, 1980.

______. Hora de alimentar serpentes (contos). São Paulo: Global, 2013.

______. Mulher daqui pra frente (coletânea de artigos).Rio de Janeiro: Nórdica, 1981.

______. O leopardo é um animal delicado (contos). Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

______. Uma ideia toda azul (contos de fadas). Rio de Janeiro: Nórdica, 1979.

GOMES, Anderson. E por falar em mulheres: relatos, intimidades e ficções na escrita de Marina Colasanti. 2004.109 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

JUNG, Carl Gustav. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. São Paulo: Vozes, 2011.

______; HENDERSON, Joseph L.; FRANZ, M. L. von et al. O homem e seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1964.

OLIVA, Ângela Simoni Ronqui. A representação da violência contra a mulher em alguns contos de Marina Colasanti. 2011. 124 f. Dissertação ( Mestrado em Letras: Estudos Literários) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2011.

OLIVEIRA. Tássia Tavares de. A poesia itinerante de Marina Colasanti: questões de gênero e literatura. 2013. 157 f. Dissertação ( Mestrado em Letras) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2013.

SARTRE, Jean Paul. O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. São Paulo: Vozes, 2002.

Biografia do Autor

Maria Aparecida de Fátima Miguel, Universidade Estadual do Norte do Paraná

Professora Adjunta da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Professora efetiva da SEED - Secretaria de Estado Educação do Paraná, Especialista em Literatura e Ensino de Literatura pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP-Assis, Mestre em Literatura Infanto-juvenil e Doutora em Letras pela UNESP. Membro do Grupo de Pesquisa Crítica e recepção Literária (CRELIT) - UENP. Coordenadora do Grupo de pesquisa: A representação da mulher na produção de Marina Colasanti e Coordenadora do Projeto de Extensão: Contação de histórias: uma via de sorrisos.

Carla Francine da Silva Reis, Instituto Federal do Paraná, campus Londrina

Professora do Instituto Federal do Paraná, campus Londrina, Professora Efetiva da SEED- Secretaria de Estado da Educação Paraná, desde 2009. Cursa Doutorado na Universidade Estadual Paulista -Júlio de Mesquita Filho, UNESP-Assis. Mestra (2014) em Literatura e Vida Social na UNESP de Assis com Bolsa FAPESP. Graduada em Letras, pela Faculdade Estadual de Filosofia Ciências Letras de Cornélio Procópio (2007). Participa do grupo de Pesquisa Crítica e Recepção Literária (CRELIT) - UENP.

Publicado
2019-12-05