LA CORRIVEAU E GRACE MARKS: RESGATE E RESSIGNIFICAÇÃO PELA LITERATURA DE AUTORIA FEMININA

  • Gabriel Silveira Martins
  • Kelley Baptista Duarte

Resumo

A presente análise comparativa busca observar de que maneira o texto dramático A gaiola de ferro (2003), de Anne Hébert, e o romance Vulgo Grace (2017), de Margaret Atwood, rearticulam e ressignificam os mitos criados sobre a quebequense Marie-Josephte Corriveau (1733 – 1763) e a irlandesa-canadense Grace Marks (1828 -?), ambas figuras históricas tradicionalmente representadas como assassinas cruéis e que ganham novas interpretações nas referidas obras, contribuindo para um revisionismo crítico e feminista da mulher na literatura.

Publicado
2019-10-29