Uma reflexão sobre Los ríos profundos, de José María Arguedas, à luz da Teoria dos Polissistemas, de Itamar Even-Zohar

  • Roseli Barros Cunha
Palavras-chave: Teoria dos Polissistemas, tradução cultural, literatura latino-americana, José María Arguedas, romance

Resumo

Neste artigo a proposta é refletir sobre o romance mais conhecido do autor peruano José María Arguedas, Los ríos profundos (1958), partindo dos pressupostos dos Estudos de Tradução, especialmente de Diniz (1999), mas também da visão de especialistas na obra do autor, como é o caso de Rama (1982), Sales (2002) e Cunha (2007; 2012; 2014; 2015; 2017), para analisar alguns fragmentos da obra à luz da Teoria dos Polissistemas, de Even-Zohar (1990).

Biografia do Autor

Roseli Barros Cunha
Professora Associada do Departamento de Letras Estrangeiras (DLE) e do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGLetras) da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Publicado
2019-02-27
Seção
Polissistemas