A carta entre a esfera da memória e da história: José de Alencar escreve a D. Pedro II

Palavras-chave: Epistolografia, História, Memória, José de Alencar, D. Pedro II.

Resumo

 

RESUMO:

Esta reflexão propõe, por meio do caráter interdisciplinar, agregar a relação entre Epistolografia e História sob o aporte da Memória. O dossiê missivístico consultado é constituído por 32 cartas enviadas por José de Alencar a D. Pedro II no período de 1868 a 1870. O objeto eleito para esta reflexão é 1 carta deste lote, sem data que apresentou um caráter híbrido transitando entre o pessoal e o institucional haja vista que Alencar, o literato, ocupou o lugar de Ministro da Justiça, o político, em cujo período enviou esta carta ao referido Imperador. A correspondência tratada encontra-se sob a custódia do Arquivo Histórico do Museu Imperial de Petrópolis (AHMIP-RJ) e disponível à pesquisa pública e, para efeito de critério, esta correspondência classifica-se como ativa a partir do envio do remetente em questão. O desenvolvimento desta reflexão valeu-se da modalidade qualitativa, com apoio metodológico de natureza histórica e documental, em base bibliográfica exploratória e virtual. Este estudo é uma ação do Projeto Arquivos literários: memória, resgate, preservação, devidamente certificado pelo CNPq que propõe historiar a correspondência em questão, situá-la no tempo e no espaço e compreendê-la no campo da interdisciplinaridade como é o caso.

 

Biografia do Autor

Moema Rodrigues Brandão Mendes, Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora - CES/JF. Fundação Casa de Rui Barbosa - FCRB - RJ
Doutora em Letras (UFF), Pós-Doutoranda em Resgate e Preservação (FCRB/RJ). Professora titular do Mestrado em Letras do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora. Atuação em Crítica genética, Crítica textual, Memória, Manuscrito moderno.
Revelino Leonardo Pires de Mattos, Mestre em Letras (CES/JF).
Graduado em História (UFJF), Mestre em Letras (CES/JF).
Publicado
2019-02-27
Seção
Artigos