Avaliação da relação entre a qualidade da anotação dos parâmetros fisiológicos, o Escore para Alerta Precoce e a adoção do Plano de Ação em enfermaria de um Hospital Universitário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2023.v49.40795

Palavras-chave:

Monitorização Fisiológica, Escore de Alerta Precoce, Deterioração Clínica, Equipe de Respostas Rápidas de Hospitais

Resumo

Introdução: Em pacientes em enfermarias, eventos adversos evitáveis podem decorrer de deterioração clínica despercebida, frequentemente antecedida por alterações nos sinais vitais, fornecendo oportunidade para intervenção precoce. A adoção de Equipe de Resposta Rápida (ERR) pode melhorar esse desfecho, porém é altamente dependente do monitoramento dos parâmetros fisiológicos e da notificação da ERR. Objetivo: Avaliar a qualidade das informações em prontuários e da resposta assistencial a pacientes em enfermarias com agravamento do estado clínico, resultando em óbito ou transferência para UTI em um Hospital Universitário e fornecer dados para comparação de resultados após implantação da ERR. Material e Métodos: Estudo documental retrospectivo, entre junho de 2013 e julho de 2014, em 128 prontuários de pacientes com piora clínica que resultou em óbito ou admissão em UTI (“evento”). Foram coletados os parâmetros fisiológicos, a pontuação no Escore para Alerta Precoce e o Plano de Ação registrado em 11 momentos que antecederam o “evento”, resultando em 11 escores. A relação entre a pontuação do Escore de Alerta Precoce e a execução do Plano de Ação foi classificada como “adequada”, “inadequada” ou “ausente”. Resultados: Quanto mais se afastava momento de ocorrência do “evento”, maior foi o número de dados faltantes, ocasionando Escores de Alerta Precoce não calculáveis. O número de casos adequados foi menor quanto mais distante estava o “evento” do momento da aferição dos parâmetros fisiológicos. Conclusão: Os tempos de resposta foram inadequados ao Plano de Ação. A falha em socorrer pacientes em deterioração clínica é complexa e multifatorial, mas acredita-se que no presente relato isto se deveu, pelo menos  em parte, à anotação inadequada dos parâmetros fisiológicos. Esforços devem ser envidados no sentido de reforçar a importância do registro dos parâmetros fisiológicos, de reconhecer, de intervir e de comunicar agravos, essenciais para o correto funcionamento das alças aferente e eferentes das ERR.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brennan TA, Leap LL, Laird NM, Hebert L, Localio R, Lawthethers AG et al. Incidence of adverse events and negligence in hospitalized patients: results of the Harvard Medical Practice Study I. N Engl J Med. 1991; 324:370-6.

Leap LL, Brennan TA, Laird N, Lawthers AG, Localio R, Barnes BA et al. The nature of adverse events in hospitalized patients: results of the Harvard Medical Practice Study II. N Engl J Med. 1991; 324(6):377-84.

Baker GR, Norton PG, Flintoft V, Blais R, Brown A, Cox J et al. The Canadian adverse events study the incidence of adverse events among in Canada. JCAM. 2004; 170(11):1678-86.

Lee A, Bishop G, Hilman KM, Daffurn K. The medical emergency team. Anaesth intensive care. 1995; 23(2):183-6.

Lyons PG, Edelson DP, Churpek MM. Rapid response systems. Resuscitation. 2018; 128:191-7.

Subbe CP, Kruger M, Rutherford P, Gemmel L. Validation of a modified early warning score in medical admissions. QJM. 2001; 94(10):521-6.

Holland M, Kellett J. The United Kingdom's National Early Warning Score: should everyone use it? A narrative review. Intern Emerg Med. 2023; 18(2):573-83.

McQuillan P, Pilkington S, Allan A, Taylor B, Short A, Morgan G et al. Confidential inquiry into quality of care before admission to intensive care. BMJ. 1998; 316(7148):1853-8.

Lee JR, Kim EM, Kim SA, Oh EG. a systematic review of early warning systems' effects on nurses' clinical performance and adverse events among deteriorating ward patients. J Patient Saf. 2020; 16(3):e104-e13.

Saab MM, McCarthy B, Andrews T, Savage E, Drummond FJ, Walshe N et al. The effect of adult Early Warning Systems education on nurses' knowledge, confidence and clinical performance: A systematic review. J Adv Nurs. 2017; 73(11):2506-21.

Kramer AA, Sebat F, Lissauer M. A review of early warning systems for prompt detection of patients at risk for clinical decline. J Trauma Acute Care Surg. 2019; 87(1S Suppl 1):S67-S73.

Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (BR). Hospital Universitário da Universidade Feeral de Juiz de Fora. Plano diretor estratégico: HU-UFJF [Internet]. Juiz de Fora: HU-UFJF; 2023 [citado em 09/03/2023]. Disponível em: https://www.gov.br/ebserh/pt-br/hospitais-universitarios/regiao-sudeste/hu- ufjf/governanca/superintendencia/unidade-de-planejamento/plano-diretor- estrategico-pde

Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (BR). Hospital Universitário da Universidade Feeral de Juiz de Fora. Protocolo escore de alerta precoce [Internet]. Juiz de Fora: HU-UFJF; 2022 [citado em 09/03/2023]. Disponível em:https://www.gov.br/ebserh/pt-br/hospitais- universitarios/regiao-sudeste/hu-ufjf/acesso-a-informacao/nucleo-de- qualidade-hospitalar-gestao-de-documentos/superintendencia/unidade-de- gestao-da-qualidade-e-seguranca-do-paciente/seguranca-do-paciente/prt- ugqsp-nsp-008-escore-de-alerta-precoce.pdf/view.

Olsen SL, Nedrebo BS, Strand K, Soreide E, Kvaloy JT, Hansen BS. Reduction in omission events after implementing a rapid response system: a mortality review in a department of gastrointestinal surgery. BMC Health Serv Res. 2023; 23(1):179.

Loisa E, Kallonen A, Hoppu S, Tirkkonen J. Trends in the national early warning score are associated with subsequent mortality: a prospective three- centre observational study with 11,331 general ward patients. Resusc Plus. 2022; 10:100251.

Abbott TE, Vaid N, Ip D, Cron N, Wells M, Torrance HD et al. A single- centre observational cohort study of admission National Early Warning Score (NEWS). Resuscitation. 2015; 92:89-93.

Churpek MM, Adhikari R, Edelson DP. The value of vital sign trends for detecting clinical deterioration on the wards. Resuscitation. 2016; 102:1-5.

Groarke JD, Gallagher J, Stack J, Aftab A, Dwyer C, McGovern R et al. Use of an admission early warning score to predict patient morbidity and mortality and treatment success. Emerg Med J. 2008; 25(12):803-6.

Schein RMH, Hazday N, Pena M, Ruben BH, Sprung CL. Clinical antecedents to in hospital cardiopulmonary arrest. Chest. 1990; 98:1388-92.

Hillman K, Parr M, Flabouris A, Bishop G, Stewart A. Redefining in-hospital resuscitation the concept of the medical emergency team. Resuscitation. 2001; 48:105-10.

Considine J, Berry D, Doric A, Simpson J, Dwyer A, Hirth S et al. Frequency and nature of medical emergency team afferent limb failure in patients with documented vital sign abnormalities: a retrospective point prevalence study. Aust Crit Care. 2022.

Trinkle RM, Flabouris A. Documenting rapid response system afferent limb failure and associated patient outcomes. Resuscitation. 2011; 82(7):810-4.

Reardon PM, Fernando SM, Murphy K, Rosenberg E, Kyeremanteng K. Factors associated with delayed rapid response team activation. J Crit Care. 2018; 46:73-8.

Van Leuvan CHM, I. Missed opportunities: an observational study of vital sign measurements. Critical Care and Resuscitation. 2008; 10(2):111-15.

Taenzer AH, Pyke JB, McGrath SP. A review of current and emerging approaches to address failure to rescue. Anesthesiology. 2011; 115(2):421-31.

DeVita MA, Smith GB, Adam SK, Adams-Pizarro I, Buist M, Bellomo R et al. Identifying the hospitalised patient in crisis: a consensus conference on the afferent limb of rapid response systems. Resuscitation. 2010; 81(4):375-82.

Jacintho P, Aparecida MC, Saccomann ICRS. Capacitação da equipe de enfermagem sobre o reconhecimento precoce da deterioração do paciente hospitalizado. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba. 2022; 22(3):119-24.

Jensen JK, Skar R, Tveit B. The impact of early warning score and rapid response systems on nurses' competence: an integrative literature review and synthesis. J Clin Nurs. 2018; 27(7-8):e1256-e74.

Baker GRN, Flintoft V, Blais R, Brown A, Cox J et al. The Canadian adverse events study the incidence of adverse events among hospital patients in Canada. Canadian Medical Association Journal. 2004; 170(11):1678-86.

Chen J, Bellomo R, Flabouris A, Hillman K, Assareh H, Ou L. Delayed emergency team calls and associated hospital mortality: a multicenter study. Crit Care Med. 2015; 43(10):2059-65.

Downloads

Publicado

2024-01-08

Como Citar

1.
Vasconcellos Furtado MC, dos Santos Pinto SP, Gollner AM, Chaoubah A, de Almeida Jorge FA. Avaliação da relação entre a qualidade da anotação dos parâmetros fisiológicos, o Escore para Alerta Precoce e a adoção do Plano de Ação em enfermaria de um Hospital Universitário. HU Rev [Internet]. 8º de janeiro de 2024 [citado 24º de julho de 2024];49:1-7. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/40795

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>