Avaliação da qualidade de vida dos docentes em instituição pública de ensino superior pelo Whoqol-bref: um estudo transversal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2023.v49.40783

Palavras-chave:

Qualidade de Vida, Universidades, Docentes, Organização Mundial da Saúde

Resumo

Introdução: A qualidade de vida (QV) é composta por inúmeras variáveis que englobam diversos domínios do ser humano, sendo um conceito subjetivo e multidimensional. Devido à sua influência no indivíduo, a literatura com essa temática se torna cada vez mais expressiva. Para tanto, existem questionários responsáveis por essa avaliação, entre eles o Whoqol-bref, desenvolvido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Objetivo: Avaliar a QV de professores de uma instituição pública de ensino superior do estado de Minas Gerais e identificar os fatores que a influenciam. Método: Estudo quantitativo e transversal, cuja coleta de dados incluiu a aplicação de um questionário de identificação pessoal e do Whoqol-Bref. Todos os professores vinculados à IES foram convidados e a taxa de resposta foi de 33,71%. A análise estatística determinou a média e o desvio padrão para cada domínio e utilizou o teste T de Student, adotando p<0,05. Resultados: 56,7% dos participantes da pesquisa são do sexo feminino. A QV geral e a satisfação com a saúde mostraram-se positivas em 54,10% e 52,46% dos docentes, respectivamente. A comparação levando em conta a variável sexo mostrou significância estatística no domínio físico. Os docentes do sexo masculino apresentaram maiores médias nos 4 domínios. Conclusão: A QV para a população masculina se mostrou superior em relação a feminina, com foco no domínio Físico. Cerca de metade da amostra não avaliaram sua QV como boa, o que pode ser atribuído a baixa autoestima, pouco apoio social e relações sociais menosprezadas.  As limitações encontradas nesse estudo incluíram o tamanho da amostra e a escassez de literatura nessa temática. Espera-se que este trabalho possa contribuir para pesquisas futuras, com foco na qualidade de vida e iniquidade de gênero, visando enriquecer a literatura, dando subsídio para abordagens que melhorem a QV dos docentes. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Gordia PA, Quadros TM, Oliveira MT, Campos W. Qualidade de vida: contexto histórico, definição, avaliação e fatores associados. Rev Bras Qual Vida. 2011; 3(1):40-52.

Dantas RA, Sawada NO, Malerbo MB. Pesquisas sobre qualidade de vida: revisão da produção científica das universidades públicas do Estado de São Paulo. Rev Latinoam Enferm. 2003; 11(4):532-38.

Landeiro GM, Pedrozo CC, Gomes MJ, Oliveira ER. Revisão sistemática dos estudos sobre qualidade de vida indexados na base de dados SciELO. Cien Saude Colet. 2011; 16(10):4257-66.

Kluthcovsky AC, Kluthcovsky FA. O WHOQOL-bref, um instrumento para avaliar qualidade de vida: uma revisão sistemática. Rev Psiquiatr Rio Gd Sul. 2009; 31(3).

Masson VA, Monteiro MI, Vedovato TG. Qualidade de vida e instrumentos para avaliação de doenças crônicas: revisão de literatura. In: Vilarta R, Gutierrez GL, Monteiro MI, organizadores. Qualidade de vida: evolução dos conceitos e práticas no século XXI. Campinas: Ipes Editorial; 2010. p. 45-54.

Silva JBF, Rocha Silva MA, Rodrigues W. Quality of life and teaching work outside higher education: an antagonistic relationship. Revista Desafios. 2020; 7.

Fleck MP, Leal OF, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G et al. Desenvolvimento da versão em português do instrumento de avaliação de qualidade de vida da OMS (WHOQOL-100). Braz J Psychiatry. 1999; 21(1):19-28.

Araújo AL, Fé EM, Araújo DA, Oliveira ES, Moura IH, Silva AR. Avaliação da qualidade de vida no trabalho de docentes universitários. Rev Enferm Cent-Oeste Min. 2019; 9(0). doi.org/10.19175/recom.v9i0.3195.

Oliveira Filho A, Netto-Oliveira ER, Oliveira AA. Qualidade de vida e fatores de risco de professores universitários. Rev Educ Fis UEM. 2012; 23(1):57-67.

Souto LE, Souza SM, Lima CA, Lacerda MK, Vieira MA, Costa FM et al. Fatores associados à qualidade de vida de docentes da área da saúde. Rev Bras Educ Med. 2016; 40(3):452-60. doi.org/10.1590/1981-52712015v40n3e02362014

Koetz L, Rempel C, Périco E. Qualidade de vida de professores de instituições de ensino superior comunitárias do Rio Grande do Sul. Cien Saude Colet. 2013; 18(4):1019-28.

Cardoso MG, Mesas AE, Cardelli AA, Galdino MJ, Barreto MF, Aroni P et al. Qualidade do sono e workaholism em docentes de pós-graduação stricto sensu. Acta Paul Enferm. 2020; 33:eAPE20190228.

Salanova M, López-González AA, Llorens S, del Líbano M, Vicente-Herrero MT, Tomás-Salvá M. Your work may be killing you! Workaholism, sleep problems and cardiovascular risk. Work Stress. 2016; 30(3):228-42. doi/abs/10.1080/02678373.2016.1203373

Cardoso HC, Bueno FC, Mata JC, Alves AP, Jochims I, Vaz Filho IH et al. Avaliação da qualidade do sono em estudantes de Medicina. Rev Bras Educ Med. 2009; 33(3):349-55.

Araújo DS, Araújo CG. Aptidão física, saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adultos. Rev Bras Med Esporte. 2000; 6(5):194-203.

Fletcher GF, Balady G, Blair SN, Blumenthal J, Caspersen C, Chaitman B et al. Statement on exercise: benefits and recommendations for physical activity programs for all Americans: a statement for health professionals by the committee on exercise and cardiac rehabilitation of the Council on Clinical Cardiology, American Heart Association. Circulation. 1996. 94:857-62.

Guedes DP, Guedes JE. Atividade física, aptidão física e saúde. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 1995; 1:18-35.

Caveião C, Sales WB, Visentin A, Hey AP, Escalante MM, Oliveira ES. Perfil e qualidade de vida dos docentes enfermeiros de universidades privadas e pública: estudo com WHOQOL-Bref. Rev APS. 2018; 20(2):185-93.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (BR). Censo da educação superior 2019: notas estatísticas [Internet]. Brasília: INEP; 2019 [citado em 2021 abr 25]. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2020/Notas_Estatisticas_Censo_da_Educacao_Superior_2019.pdf.

.

Pereira EF, Teixeira CS, Andrade RD, Silva-Lopes A. O trabalho docente e a qualidade de vida dos professores na educação básica. Rev Salud Pública. 2014; 16(2):221-31.

Faria RM, Leite IC, Silva GA. O sentido da relação trabalho e saúde para os assistentes em administração de uma universidade pública federal no Estado de Minas Gerais. Physis. 2017; 27(3):541-59.

Gomes KK, Sanchez HM, Sanchez EG, Sbroggio Júnior AL, Arantes Filho WM, da Silva LA et al. Qualidade de vida e qualidade de vida no trabalho em docentes da saúde de uma instituição de ensino superior. Rev Bras Med Trab. 2016; 15(1):18-28.

Canesqui AM, Barsaglini RA. Apoio social e saúde: pontos de vista das ciências sociais e humanas. Cien Saude Colet. 2012; 17(5):1103-14.

Freitas GR, Calais SL, Cardoso HF. Estresse, ansiedade e qualidade de vida em professores: efeitos do relaxamento progressivo. Psicol Esc e Educ. 2018; 22(2):319-26. doi.org/10.1590/2175-35392018018180

Contaifer TR, Bachion MM, Yoshida T, Souza JT. Estresse em professores universitários da área de saúde. Rev Gaucha Enferm. 2003; 24(2):215-25.

Barata RB. Relações de gênero e saúde: desigualdade ou discriminação? In: Como e por que as desigualdades sociais fazem mal à saúde [Internet]. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2009 [citado em 2023 fev 20]. p. 73-94. Temas em Saúde Collection. Disponível em: https://books.scielo.org/id/48z26/pdf/barata-9788575413913-06.pdf

Neves IR. Work, exclusion, pain, suffering, and gender relations: a survery of female workers treated for repetitive strain injury at a public health clinic. Cad Saúde Pública. 2006; 22(6):1257-65. doi.org/10.1590/S0102-311X2006000600015

Dejours C, Abdoucheli E, Jayet C. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas; 1994.

American Psychiatric Association. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. 5. ed. Porto Alegre: Artmed; 2014.

Oliveira ER, Garcia AL, Gomes MJ, Bittar TO, Pereira AC. Gênero e qualidade de vida percebida: estudo com professores da área de saúde. Cien Saude Colet. 2012; 17(3):741-7.

Braga NL, Araújo NM, Maciel RH. Condições do trabalho da mulher: uma revisão integrativa da literatura brasileira. Psicol Teor Prát. 2019; 21(2):211-31. doi.org/10.5935/1980-6906/psicologia.v21n2p232-251

Marcacine PR, Castro SS, Castro SS, Meirelles MC, Haas VJ, Walsh IA. Qualidade de vida, fatores sociodemográficos e ocupacionais de mulheres trabalhadoras. Cien Saude Colet. 2019; 24(3):749-60.

Pedrolo E, Santana LL, Ziesemer NBS, Carvalho TP, Ramos TH, Haeffner R. The impact of Covid-19 pandemic on the quality of life and stress of teachers in a federal institution. Research, Society and Development. 2021; 10(4).

Azevedo Barros MB, Lima MG, Malta DC, Szwarcwald CL, Azevedo RCS, Romero D et al. Report on sadness/depression, nervousness/anxiety and sleep problems in the Brazilian adult population during the Covid-19 pandemic. Epidemiol Serv Saude. 2020; 29(4).

Downloads

Publicado

2023-11-09

Como Citar

1.
Melo IC de C, Drumond DG, Chaoubah A, de Jesus ILRD, de Faria IA, Belgo TRR. Avaliação da qualidade de vida dos docentes em instituição pública de ensino superior pelo Whoqol-bref: um estudo transversal. HU Rev [Internet]. 9º de novembro de 2023 [citado 25º de julho de 2024];49:1-9. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/40783

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)