Metodologia de criação de uma ferramenta didático-pedagógica de intervenção em doença renal crônica, segundo preceitos do letramento em saúde

  • Luanda Thais Mendonça Santos Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Lívia Botelho da Silva Sarkis Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Fernando Antonio Basile Colugnati Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Marcus Gomes Bastos Universidade Federal de Juiz de Fora
Palavras-chave: Estratégias, Educação em Saúde, Alfabetização em Saúde, Insuficiência Renal Crônica.

Resumo

Considerando que o diagnóstico precoce da doença renal crônica (DRC) e o sucesso terapêutico da doença primária são fundamentais para a diminuição ou reversão da progressão da DRC, são necessárias intervenções que irão impactar positivamente conforme a precocidade de sua aplicação. O objetivo do presente trabalho foi desenvolver uma ferramenta didático pedagógica de intervenção em DRC. A criação da Ferramenta obedeceu a cinco etapas iniciais: sistematização do conteúdo; criação das imagens por um designer especializado; diagramação e edição do conteúdo; submissão a um Comitê de Especialistas e criação de um Manual do Mediador. A Ferramenta Didática de Intervenção em DRC foi concluída, dando origem a um instrumento capaz de abordar 11 itens de extrema importância para o tratamento da DRC: (1) Você sabe o que é Doença Renal Crônica?; (2) Acolhimento; (3) Sentimentos mediante o diagnóstico; (4) Definição de DRC; (5) Caminho do sangue; (6) Mitos e verdades; (7) Sinais e sintomas; (8) Fatores de risco; (9) Alimentação; (10) Atividade física; e (11) Tratamento. A Ferramenta Didático-Pedagógica de Intervenção em DRC é um instrumento facilitador da aprendizagem, por ter uma estrutura lúdica, dialógica e dinâmica, cujo intuito é impactar nos desfechos de forma positiva.

Referências

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2003.

BASTOS, M.G. et al. Doença renal crônica: problemas e soluções. Jornal Brasileiro de Nefrologia, v.26, n.4, p.202-215, set. 2004.

BASTOS, M. G.; KIRSZTAJN, G. M. Doença renal crônica: importância do diagnóstico precoce, encaminhamento imediato e abordagem interdisciplinar estruturada para melhora do desfecho em pacientes ainda não submetidos à diálise. Journal Brasileiro de Nefrologia, v. 33, n.1, p. 93-108, jan. 2011.

EVANS, R. G.; STODDART, G.L. Consuming research, producing policy? American Journal of Public Health, v.93, n.3, p.371-79, mar. 2003.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 29ª. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 2006.

KIRSCH, I. et al. Adult Literacy in America: a first look at the findings of the national adult literacy survey. Washington, DC: National Center of Education Statistics; 1993.

KOCH, I.G.V. Desvendando os segredos do Texto. São Paulo: Editora Cortez; 2003.

LIMA, S.M.L. Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica à hipertensão arterial. Cadernos de Saúde Pública, v.25, n.9, p. 2001-2011, set. 2009.

MARCUSCHI, L.A. Processos de Produção Textual. Análise de Gêneros e Compreensão. Editora Parábola Editorial. 2008.

MÜLLER, M. Comunicação em saúde: binômio assistente e assistido. Psicologia IESB, América do Norte, 1, aug. 2010. Disponível em: http://php.iesb.br/ojs/index.php/psicologiaiesb/article/view/11/12. Acesso em 01 Ago. 2018.

NATIONAL WORK GROUP ON LITERACY AND HEALTH. Communicating with patients who have limited literacy skills: Report of the National Work Group on Literacy and Health. The Journal of Family Practice, v.46, n.2, p.168–76, feb. 1998.

OLIVEIRA, V.Z.; GOMES, W.B. Comunicação médico-paciente e adesão ao tratamento em adolescentes portadores de doenças orgânicas crônicas. Estudos de Psicologia, v.9, n.3, p.459-469, set./dez. 2004.

PAASCHE-ORLOW M. Caring for Patients with Limited Health Literacy: A 76-Year-Old Man with Multiple Medical Problems. Journal of the American Medical Association, v. 306, n.10, p.1122-9, sep. 2011.

PAASCHE-ORLOW, M.K. et al. The prevalence of limited health literacy. Journal of General Internal Medicine, v.20, n.2, p.175–84, feb. 2005.

PACHECO, G.S. et al. Características de Clientes com Doença Renal Crônica: Evidência para o ensino do Autocuidado. Revista de Enfermagem da UERJ, v. 14, n. 3, p. 434-35, jul./set. 2006.

SESSO, R.C. et al. Relatório do censo brasileiro de diálise 2010. Jornal Brasileiro de Nefrologia, v.33, n.4, p.442-447, out./dez. 2011.

SORENSEN, K. et al. Health literacy and public health: A systematic review and integration of definitions and models. BMC Public Health, v.12, n.80, p.12-80, jan. 2002.

TORRES, H.C. Avaliação estratégia de educação em grupo e individual no programa educativo em diabetes. Revista de Saúde Pública, v.43, n.2, p.291-8, feb. 2009.

WRIGHT, J.A. et al. Development and Results of a Kidney Disease Knowledge Survey Given to Patients With CKD. American Journal of Kidney Diseases, v. 57, n.3, p. 387-95, mar. 2011.

Publicado
2018-10-15
Como Citar
1.
Santos LTM, Sarkis LB da S, Colugnati FAB, Bastos MG. Metodologia de criação de uma ferramenta didático-pedagógica de intervenção em doença renal crônica, segundo preceitos do letramento em saúde. hu rev [Internet]. 15º de outubro de 2018 [citado 15º de agosto de 2020];43(3):255 -263. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2936
Seção
Artigos Originais