A INFÂNCIA EM CRONOTOPOS: MIGRAÇÃO, TERRITÓRIOS E ENUNCIAÇÃO INFANTIL

  • Marisol Barenco de Mello
Palavras-chave: Infâncias, Cronotopos, Territórios

Resumo

O presente texto pretende construir um estudo crítico
sobre a autoria infantil, buscando compreender os
processos de pensamento, linguagem e ação infantis em
situações complexas no contexto escolar. Entendendo
a partir das perspectivas histórico-culturais que o
desenvolvimento humano acontece em processos
sociais mediados por instrumentos e tomando a
linguagem como ferramenta simbólica privilegiada,
buscamos tanto tecer a crítica às teorias clássicas e
contemporâneas sobre as infâncias e seus processos
de desenvolvimento e construção de conhecimentos,
quanto afirmar as dimensões estéticas e éticas como coconstitutivas
dos processos cognitivos e epistêmicos.
O trabalho afirma a necessidade de se tomar em conta,
no estudo das infâncias e seus processos, as dimensões
éticas e estéticas como co-constitutivas das demais
dimensões historicamente consideradas, tanto no que
diz respeito aos modelos teóricos assumidos, quanto
no que concerne às ações dirigidas às crianças – o olhar
do adulto sobre as ações infantis e as ações adultas daí
decorrentes, propostas no trabalho com as crianças.
Pensando na cultura como domínios discursivos
territoriazados, o artigo busca pensar as crianças e as
infâncias como iminentemente desterritorializadoras,
em suas autorias únicas e irrepetíveis.
Publicado
2018-12-27
Seção
Artigos