Preencher Potências e Inventar Educações Possíveis: pela experimentação de uma Formação-Sem-Órgãos

  • Cristian Poletti Mossi Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)
  • Marilda Oliveira de Oliveira Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Palavras-chave: Corpo sem Órgãos, Educação, Formação.

Resumo

O artigo busca, a partir da frente filosófica instaurada por Deleuze e Guattari na obra Mil Platôs (1995a, 1995b, 1996, 1997a, 1997b), pensar o campo educativo – o qual implica nas relações entre corpos, espaços, práticas, metodologias – como um fenômeno de estratificação de agenciamentos territoriais. Desse modo, a prática do Corpo-sem-Órgãos, enunciada por Artaud (Para acabar com o julgamento de Deus, 1947) e evidenciada também por Deleuze e Guattari em Mil Platôs, pode se tornar cara no sentido de gerar alguns movimentos de desterritorialização/desestratificação dos agenciamentos territoriais estratificados que formam o campo educativo. Isso implica pensar em pequenas educações, enquanto práticas marginais, que se alojam em uma grande Educação, já deveras instituída e legitimada, possibilitando aos corpos envolvidos em tais processos o “preenchimento de uma potência” (DELEUZE, 1988/1989, s/p) que lhes confere alegria produtiva e inventiva. Por fim, o artigo problematiza uma educação/formação sem órgãos que desinstitui as relações entre aprendizes, docentes e espaços educativos de formação de uma relação hierárquica, intentando tramar desvios sinuosos dos caminhos incessantemente pisados, invencionando outros percursos que se distanciam de receituários e identidades fixas.

Biografia do Autor

Cristian Poletti Mossi, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)

Professor Adjunto do curso de Artes Visuais: Licenciatura da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Doutor em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Maria/RS (UFSM), bolsista CAPES. Mestre em Artes Visuais (2010) pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGART) com bolsa CAPES/Reuni integral, Especialista em Design para Estamparia, Bacharel e Licenciado em Desenho e Plástica por essa mesma instituição. Membro pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Arte, Educação e Cultura (GEPAEC).

Marilda Oliveira de Oliveira, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Professora do Programa de Pós Graduação Educação (PPGE/CE/UFSM). Orientadora do projeto de tese doutoral. Doutora em História da Arte (1995) e Mestre em Antropologia Social (1990), ambos pela Universidad de Barcelona – Espanha. Coordenadora do GEPAEC – Grupo de Estudos e Pesquisas em Arte, Educação e Cultura – Diretório CNPq. Representante da ANPAP no RS e Editora da Revista Digital do LAV <http://www.ufsm.br/lav>

Publicado
2016-02-21
Seção
Artigos