“Compaixão pela messe!”: Filhas do divino zelo e as pedagogias missionárias em ação na Vila Operária Mineração de Içara (SC-Brasil) 1959 a 1968

  • Giani Rabelo Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina - UNESC
Palavras-chave: Pedagogias Missionárias. Vila Operária. Complexo Carbonífero. Congregação Filhas do Divino Zelo.

Resumo

Este artigo é um recorte de um estudo que procurou inventariar e analisar, numa perspectiva histórica, as práticas instauradas pelas pedagogias missionárias, protagonizadas pelas congregações religiosas femininas em vilas operárias do complexo carbonífero do sul do Estado de Santa Catarina, entre os anos de 1950 e 1980. Neste artigo, o destaque será dado à Congregação das Filhas do Divino Zelo. Tal congregação atuou no distrito de Içara que se destacou, desde os anos de 1949, na extração do carvão mineral pela Carbonífera Barão do Rio Branco, a qual mantinha uma vila operária. A chegada das religiosas para a realização do trabalho de cunho socioeducativo na Vila Operária da Mineração, junto às famílias, ocorreu entre no final dos anos de 1950. O principal objetivo do estudo foi compreender tais pedagogias em ação, junto aos operários e suas famílias, especialmente filhos, filhas e esposas. A pesquisa assentou-se num amplo corpus empírico composto por documentos orais, produzidos a partir da História Oral, bem como documentos escritos e iconográficos, conservados pelas congregações. A partir dos indícios encontrados foi possível observar a ação insidiosa das religiosas na “reeducação” das famílias. Elas procuraram instituir novos hábitos e valores nas práticas cotidianas das famílias operárias e, para que isso se concretizasse, envolveram, de forma diferenciada, os operários, suas esposas, filhos e filhas, em várias ações de caráter social, educativo e religioso.

Biografia do Autor

Giani Rabelo, Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina - UNESC
Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008). Professora titular da Universidade do Extemo Sul Catarinense (UNESC), desde 1996. Atua no Curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação. No PPGE/UNESC ocupa a função de coordenadora adjunta. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, atuando e pesquisando, principalmente, nos seguintes temas: História, Memória e Educação; Memória Docente; Gênero e Educação; Religião e Educação; História das Instituições Escolares; História da escrita e da leitura e Cultura Escolar.. É líder do Grupo de Pesquisa "História e Memória da Educação" (GRUPEHME), cadastrado no CNPq e coordena o Centro de Memória da Educação do Sul de Santa Catarina - virtual (CEMESSC).
Publicado
2016-02-21
Seção
Artigos