As metodologias ativas aplicadas ao trabalho crítico da habilidade oral em Português como língua adicional

Autores

  • Henrique Rodrigues Leroy Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
  • Camila de Souza Santos Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
  • Silvana Mamani Universidade Federal de Goiás, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil
  • Milena Maria Ferreira de Paula Paula Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
  • Anna Karolina Sousa Bernardes Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-9444.2020.v10.31915

Palavras-chave:

Português língua adicional, Metodologias ativas, Habilidades orais

Resumo

Esta pesquisa qualitativa de caráter descritivo e exploratório analisa uma unidade didática de Português Língua Adicional (PLA) de nível intermediário, focada no trabalho com as habilidades orais nesse idioma. Os objetivos deste estudo são: verificar a aplicação ou não das Metodologias Ativas nas tarefas de produção e compreensão oral em língua adicional e verificar se há mobilização de estratégias para a formação crítica do aluno na preparação para a oralidade examinada pelo Celpe-Bras. Os conceitos basilares deste estudo são as Metodologias Ativas (FILATRO e CAVALCANTI, 2018; MORÁN, 2017; BERBEL, 2011) e os aspectos da oralidade no ensino-aprendizagem do PLA (MARCUSCHI, 2003).  As análises demonstram que a unidade mobiliza diversas estratégias para potencializar a compreensão e a produção oral com protagonismo do estudante, abrindo espaço ao diálogo sobre a diversidade cultural e explorando a criticidade através das Metodologias Ativas.

Biografia do Autor

Camila de Souza Santos, Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Graduada em Letras pela Univerisidade Federal de Minas Gerais
Mestra em Lingu´ística Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Faculdade de Letras da UFMG.

Silvana Mamani, Universidade Federal de Goiás, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Graduada em Letras pela Univerisidade Federal de Minas Gerais
Mestra em Lingu´ística Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Faculdade de Letras da UFMG.

Milena Maria Ferreira de Paula Paula, Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Graduadanda em Letras pela Faculdade de Letras (FALE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Referências

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As Metodologias Ativas e a promoção da autonomia dos estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011. https://doi.org/10.5433/1679-0383.2011v32n1p25

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira. Documento base do exame Celpe-Bras. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2020.

DEWEY, John. O desenvolvimento do Pragmatismo Americano. Cognitio-estudos: Revista Eletrônica de Filosofia, v.5, n.2. São Paulo: PUC-SP, 2008. p. 119-132.

FILATRO, Andrea; CAVALCANTI, Carolina Costa. Metodologias inovativas na educação presencial, a distância e corporativa. São Paulo: Saraiva Educação, 2018.

FREIRE, Paulo.; SHOR, Ira. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2019.

JANKS, Hilary. Panoramas sobre letramento crítico. In: JESUS, Dánie Marcelo de; CARBONIERI, Divanize. Práticas de multiletramento e letramento crítico: Outros Sentidos para a Sala de Aula de Línguas. Campinas, SP: Pontes Editores, 2016, p. 21 – 40.

LEROY, Henrique Rodrigues. Dos sertões para as fronteiras e das fronteiras para os sertões: as (in)visibilidades das identidades performativas nas práticas translíngues, transculturais e decoloniais no ensino aprendizagem de Língua Portuguesa Adicional da UNILA. Tese de Doutorado em Letras. Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras, UNIOESTE, Cascavel, 2018.

MAHER, Terezinha Machado. A educação do entorno para a interculturalidade e o plurilinguismo. In: KLEIMAN, Angela; CAVALCANTI, Marilda do Couto. (Orgs.). Linguística aplicada: faces e interfaces. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2007. p. 255-270.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Aspectos da oralidade descuidados, mas relevantes para o ensino de português como segunda língua. In: GÄRTNER, Eberhard; HERHUT, Maria José Peres; SOMMER, Nair Nagamine (ed.). Contribuições para a Didáctica do Português Língua Estrangeira. Frankfurt am Main: T.F.M., 2003, p. 15-40. Disponível em: books.google.com.br/books?isbn=3925203907. Acesso em: 07 fev. 2020.

MONTE MÓR, Walkyria. Crítica e letramentos críticos: reflexões preliminares. In: ROCHA, Cláudia Hilsdorf; MACIEL, Ruberval Franco. Língua estrangeira e formação cidadã: por entre discursos e práticas. Campinas: Pontes, 2013. p. 31-50.

MORÁN, José. Como transformar nossas escolas: novas formas de ensinar a alunos sempre conectados. São Paulo: ECA; USP, 2017. 25 p. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2017/08/transformar_escolas.pdf. Acesso em: 07 fev. 2020.

SCARAMUCCI, Matilde Virginia Ricardi. Proficiência em LE: considerações terminológicas e conceituais. Revista Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas: Universidade Estadual de Campinas, v. 36, p. 11-22, 2000. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8639310/6904. Acesso em: 16 mar. 2020.

SCHLATTER, Margarete; GARCEZ, Pedro. M. Línguas adicionais (espanhol e inglês). In: Rio Grande do Sul, Secretaria de Estado da Educação, Departamento Pedagógico (Org.). Referenciais curriculares do Estado do Rio Grande do Sul: linguagem, códigos e suas tecnologias. Porto Alegre: Secretaria de Estado da Educação, Departamento Pedagógico, 2009, v. 1, p. 125-172. Disponível em: http://www.educacao.rs.gov.br/dados/refer_curric_vol1.pdf Acesso em: 03 mar. 2020.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. (2010). Quarta aula: a questão do meio na pedologia. Psicologia USP, 21(4), 681-701. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/psicousp/issue/view/3464. Acesso em: 07 fev. 2020. https://doi.org/10.1590/S0103-65642010000400003

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Leroy, H. R., Santos, C. de S., Maria Mamani, S., Paula, M. M. F. de P., & Bernardes, A. K. S. (2020). As metodologias ativas aplicadas ao trabalho crítico da habilidade oral em Português como língua adicional. Pesquisa E Debate Em Educação, 10(2), 1327–1342. https://doi.org/10.34019/2237-9444.2020.v10.31915

Edição

Seção

Pesquisa aplicada