A Perspectiva Funcionalista da Tradução na Migração de Marcas no Contexto da China e do Brasil

Functionalist Perspective of Translation on Brand Migration in the Context of China and Brazil

Autores

Palavras-chave:

tradução de nomes de marcas, teoria funcionalista, Princípio do Propósito

Resumo

Do ponto de vista da teoria funcionalista, tradução é um processo de comunicação intercultural cujo resultado é um texto que tem habilidade de funcionar adequadamente em situações e contextos específicos de uso. A partir desta perspectiva, o presente trabalho tem como objetivo explorar a função da tradução e da aplicação das abordagens funcionalistas na tradução de nomes de marcas no contexto da China e do Brasil, por meio da análise de exemplos reais. Pela natureza particular de uma marca, a sua tradução deve ser feita de um modo muito diferente do que a de obras literárias, científicas ou de outros gêneros. A análise realizada neste trabalho demonstra que as traduções de nomes de marcas que fizeram mais sucesso não são as mais linguisticamente fiéis, mas as que seguem a orientação da teoria funcionalista, ou seja, as traduções focadas em manter sua função e propósito - a divulgação da marca e a captação de clientes, neste caso específico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERMAN, Antoine. A tradução da letra ou o albergue do longínquo. Trad. Marie-Hélène Catherine Torres, Mauri Furlan e Andréia Guerini. Rio de Janeiro: 7Letras/PGET, 2007.

FENG, Xiuwen. On aesthetic and cultural issues in pragmatic translation. New York: Routledge, 2017.

GIACOMO Leopardi. Trechos do Zibaldone di Pensieri sobre tradução. Trad. Andréia Guerini. In: GUERINI, Andréia; ARRIGONI, Maria Teresa (org.). Clássicos da teoria da tradução. Florianópolis: UFSC / Núcleo de Tradução, 2005. p. 163.

HOLZ-MÄNTTÄRI, Justa. Translatorisches Handeln: Theorie und Methode. Helsink: Suomalainen Tiedeakatemia, 1984.

HÖNIG, H. G. Positions, power and practice: Functionalist approaches and translation quality assessment. In: SCHÄFFNER, C. (ed.). Translation and quality. Philadelphia: Multilingual Matters, 1998. p. 6-34.

HÖNIG, H. G.; KUSSMAUL, P. Strategie der Übersetzung: Ein Lehr- und Arbeitsbuch. Tübingen: Gunter Narr Verlag, 1982.

JABIR, J. K. Skopos theory: basic principles and deficiencies. Journal of the College of Arts, University of Basrah, n. 41, p. 72-84, 2006.

NORD, C. Translating as a purposeful activity functionalist approaches explained. Manchester: St. Jerome, 1997.

NORD, C. Textanalysis in translation. Tradução de J. Gras Verlag. Amsterdam: Rodopi, 2005.

REISS, K. Type, kind and individuality of text: decision making in translation. Tradução de Susan Kitron. Poetics today, v. 2, n. 4, p. 121-131, 1971.

REISS, K.; VERMEER, H. Fundamentos para una teoría funcional de la traducción. Madrid: Ediciones Akal, 1984.

SCHÄFFNER, C. Action (Theory of translational action). In: BAKER, M. (ed.) Routledge encyclopedia of translation studies. London: Routledge, 1998. p. 3-5.

SNELL-HORNBY, M. Translations studies: an integrated approach. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing, 1995[1988].

SONTAG, S. The world as India. 2007. Disponível em: <http://www.susansontag.com/prize/onTranslation.shtml>. Acesso em: 12 mar. 2019.

VERMEER, H. Aufsätze zur Translationstheorie. Heidelberg: Mimeo, 1983.

Downloads

Publicado

2022-02-16

Como Citar

YE, L. A Perspectiva Funcionalista da Tradução na Migração de Marcas no Contexto da China e do Brasil: Functionalist Perspective of Translation on Brand Migration in the Context of China and Brazil. Rónai – Revista de Estudos Clássicos e Tradutórios, [S. l.], p. 4–20, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ronai/article/view/35551. Acesso em: 21 maio. 2022.

Edição

Seção

Tradução Funcionalista: múltiplas perspectivas