Tradução e seus impasses no conto “Notas ao pé da página”, de Moacyr Scliar, sob o olhar de Rosemary Arrojo

Autores

  • Dra. Luciana de Mesquita Silva doutorado em Estudos da Linguagem pela PUC do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

tradução, conto, Moacyr Scliar, Rosemary Arrojo

Resumo

Este artigo tem como objetivo abordar o conto “Notas ao pé da página” (1995), de Moacyr Scliar. O referido texto será analisado no intuito de estabelecer uma conexão entre literatura e o tema da tradução e levantar reflexões sobre linguagem a partir de diferentes concepções, as quais serão relacionadas a visões distintas sobre tradução. Além disso, uma análise da ficção de Scliar por Rosemary Arrojo, cujo trabalho está vinculado aos Estudos da Tradução, será apresentada. A fundamentação teórica inclui os pensamentos de Mounin (1975), Frota (2000) e Arrojo (2004).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARROJO, R. A questão do texto original. In: _____. Oficina de tradução: a teoria na prática. São Paulo: Ática, 1986. p. 11-24.

_____. Tradução, (in)fidelidade e gênero num conto de Moacyr Scliar. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 4, n. 1, p. 27-36, 2004.

BORGES, J. L. [1932]. As versões homéricas. In: _____. Obras completas. Trad. Josely Viana Baptista. São Paulo: Globo, 1998.

CULLER, J. Em defesa da superinterpretação. In: ECO, Umberto. Interpretação superinterpretação. São Paulo, Martins Fontes, 1993, p. 129-146.

DE MAN, Paul. Impasse da crítica formalista. In: ____. O ponto de vista da cegueira. Trad. Miguel Tamen. Lisboa: Cotovia, 1999. p. 251-268.

DERRIDA, J. Aphorism countertime. In: _____. Acts of literature. Derek Attrige (org.). Nova York: Routledge, 1992. p. 414-433.

_____. This strange institution called literature: an interview with Jacques Derrida. In: _____. Acts of literature. Derek Attrige (org.). Nova York: Routledge, 1992. p. 33-75.

ECO, U. Superinterpretando textos. In: _____. Interpretação e superinterpretação. São Paulo: Martins Fontes, 1993. p. 53-77.

FISH, S. Is there a text in this class? The authority of interpretive communities. Cambridge, Ma./Londres: Harvard University Press, 1980.

FROTA, M. P. A singularidade na escrita tradutora: linguagem e subjetividade nos estudos da tradução, na linguística e na psicanálise. Campinas e São Paulo: Pontes e Fapesp, 2000.

MARTINS, H. F. Três caminhos na filosofia da linguagem. In: BENTES, A. C. e

MUSSALIM, F. (org.). Introdução à linguística: fundamentos epistemológicos, v. 3. São Paulo: Cortez, 2009. p. 439-73.

MOUNIN, G.. [1963]. Fragmentos dos caps. 1 e 3 + caps. 4 e 5. Os problemas teóricos da tradução. Trad. de Heloysa de Lima Dantas. São Paulo: Cultrix, 1975.

SAUSSURE, F. de [1916]. Curso de linguística geral. BALLY, C. e SECHEHAYE, A. (orgs.). Trad. Antônio Shelini, José P. Paes e Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix, 2000.

SCLIAR, M. Notas ao pé da página. In: _____. Contos reunidos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. p. 371-375.

SONTAG, S. [1964]. Against interpretation. Disponível em: http://www.coldbacon.com/writing/sontag-againstinterpretation.html. Acesso em: 19 nov. 2011.

WIERZBICKA, A. Introduction. In: _____. Semantics, culture, and cognition. New York & Oxford: Oxford University Press, 1992.

Downloads

Publicado

2023-10-22

Como Citar

DE MESQUITA SILVA, D. L. Tradução e seus impasses no conto “Notas ao pé da página”, de Moacyr Scliar, sob o olhar de Rosemary Arrojo. Rónai – Revista de Estudos Clássicos e Tradutórios, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 117–129, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ronai/article/view/23062. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos