Formação, experimentação, invenção

  • Jonathan Taveira Braga UNESP
  • Kátia Maria Kasper UFPR

Resumo

Este estudo aborda o processo de formação e criação do artista curitibano Hélio Leites, aliado ao conceito
de singularização de Félix Guattari e ao conceito de formação como um devir criativo e plural, de Jorge
Larrosa. Pensando os processos educativos e de formação como processos de produção de subjetividades, esta
pesquisa investiga o papel da invenção em tal produção. Pesquisador do botão, Hélio Leites além de criar
diversos eventos que agregam pessoas, também produz miniaturas com palitos de fósforos e outros objetos
menores. Seu trabalho opera com a apropriação e ressignificação desses objetos, utilizando o próprio corpo
como suporte expressivo. Trata-se de práticas que fogem dos recursos semióticos dominantes, reinventando
a relação entre subjetividade e corpo.

Biografia do Autor

Jonathan Taveira Braga, UNESP
Mestrando em Educação, UNESP/Rio Claro.
Kátia Maria Kasper, UFPR
Doutora em Educação pela UNICAMP. Professora da UFPR.
Publicado
2013-12-05
Seção
Artigos