Dionísio, Trickster, Exu e Diadorim como representação mítica-arquetípica-religiosa-poética

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar uma discussão sobre a experiência mítica-arquetípica-religiosa e poética das figuras de Dionísio (na cultura grega), Trickster (na cultura ameríndia), Exu (na cosmovisão ioruba) e Diadorim (na arte ou no imaginário brasileiros). Estes personagens apresentam características semelhantes, a partir de uma representação mítica-arquetípica presente em todos os tempos e lugares, como da fecundidade, da alegria e do teatro, do palhaço, do brincalhão astuto ou tolo, pregador de peças, trapaceiro. Não são vistos como heróis ou deuses da ordem, pelo contrário, são reconhecidos como anti-heróis e deuses da desordem, contudo, representam a mudança, a possibilidade do novo, da transformação.

Biografia do Autor

LUIZ HENRIQUE LEMOS SILVEIRA, PUC-Minas
Pós-doutorando em Ciências da religião PUC-MInas, MDoutorado em Psicologia e Mestrado em Ciências da Religião PUC-Minas.
Publicado
2020-12-31