Artes visuais e rituais umbandistas: uma experiência poética com os objetos cerâmicos utilizados no pejí de Mãe Isabel

Autores

  • Luisa Magaly Santana Oliveira Reis

DOI:

https://doi.org/10.34019/2236-6296.2019.v22.29613

Resumo

Este artigo expõe os resultados poéticos alcançados na pesquisa em artes visuais, realizada em 2014, no pejí de Mãe Isabel, zeladora de inquice, na cidade de Juazeiro – BA. A partir de dados coletados em visitas e entrevistas à Mãe Isabel, referentes aos objetos cerâmicos utilizados nos rituais umbandistas, foi possível estabelecer relações entre Arte, Natureza e Umbanda. A compreensão de elementos poéticos visuais e rituais a partir desses objetos contribuiu para a construção de instalações artísticas, resultantes das contenções (aquilo que pode ser contido) e transbordamentos (aquilo que não pode ser contido). A análise do uso do ibá sagrado de Umbanda junto aos processos de criação em artes visuais resultou em uma exposição individual denominada “Cerâmica encantada: objetos de contenções”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-02-11

Como Citar

SANTANA OLIVEIRA REIS, L. M. Artes visuais e rituais umbandistas: uma experiência poética com os objetos cerâmicos utilizados no pejí de Mãe Isabel. Numen, [S. l.], v. 22, n. 1, p. 163–186, 2020. DOI: 10.34019/2236-6296.2019.v22.29613. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/numen/article/view/29613. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Religiões Africanas e Afrodiaspóricas