Eusébio de Cesaréia e o martírio como estratégia pedagógica

Autores

  • Tiago Nunes Pinheiro Uem
  • Rafael Henrique Santin UEM - Universidade Estadual de Maringá
  • Terezinha Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.34019/2236-6296.2020.v23.29089

Resumo

 

Eusébio de Cesaréia (265-339), mais conhecido como pai da História da Igreja por causa de sua mais famosa obra, História Eclesiástica. O objetivo da nossa pesquisa, intitulada Eusébio de Cesaréia e o Martírio como estratégia pedagógica, é analisar alguns episódios de martírio narrados na obra Historia Eclesiástica, pois acreditamos que por meio desse estudo teremos a oportunidade de compreender como o cristianismo se colocou como um modelo educativo que buscava restaurar a ordem imperial prestes a ruir. É fundamental observarmos que seguimos os trilhos da História Social que se baseiam principalmente nas contribuições da Escola dos Annales para a história e a historiografia.

 

Palavras-chave: História da Educação; Eusébio de Cesaréia; História Eclesiástica; Martírio.

Biografia do Autor

Rafael Henrique Santin, UEM - Universidade Estadual de Maringá

Graduado em Pedagogia, Mestre em Educação e Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal do Paraná (IFPR) - Campus Palmas. Coordenador do curso de Pedagogia do Instituto Federal do Paraná (IFPR) - Campus Palmas. Membro permanente do Núcleo Docente Estruturante do curso de Pedagogia do Instituto Federal do Paraná (IFPR) - Campus Palmas. Pesquisador do Grupo de Pesquisa Transformações Sociais e Educação na Antiguidade e Medievalidade (GTSEAM - CNPq/UEM). Editor de Seção da Revista Notandum (USP). Membro da equipe técnica da Revista Imagens da Educação (UEM). Realiza estudos e pesquisas nos campos da História da Educação Medieval e Filosofia da Educação Medieval com ênfase nos seguintes temas: educação e formação do mestre nas obras de Tomás de Aquino; o debate acerca do intelecto na Universidade Medieval e suas implicações educacionais; educação e civilização na Cristandade Medieval.

Terezinha Oliveira

Possui graduação em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1986), mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (1991) e doutorado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997). Realizou, em 2004, estágio de Pós-Doutorado em História e Filosofia da Educação na Faculdade de Educação da USP. É Professora Titular da Universidade Estadual de Maringá junto ao Departamento de Fundamentos da Educação e ao Programa de Pós-Graduação em Educação. Diretora da Editora da Universidade Estadual de Maringá (Eduem) de 2014-2018. É Editora Científica da Revista Acta Scientiarum Education e Imagens da Educação. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação, especialmente em Filosofia e História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: ética, transformação social, história da educação na Idade Média, escolástica, filosofia da educação na Idade Média, Intelectuais e Instituições Educacionais na Idade Média e formação de professores. É filiada a ANPUH, ANPED, SBHE, SBHR e a ABREM e a Rede Latina Americana de Filosofia Medieval. Lider do Grupo de Pesquisa Transformações Sociais e Educação nas épocas Antiga e Medieval (GTSEAM). Participa do Grupo de Estudos Medievais Portugueses (GEMPO) e do Instituto Jean Lauand. 

Downloads

Publicado

2021-01-15