Alegrias, Micropolíticas e Periferias:

Sobre Cactos que Florescem e Fins de Mundo que são adiados

Autores

  • Cristiane Maria Medeiros Laia UFJF

DOI:

https://doi.org/10.34019/2525-7757.2020.v5.32683

Palavras-chave:

micropolítica, periferia, revolução molecular, resistência

Resumo

Um movimento cultural autônomo na periferia da cidade de Duque de Caxias – RJ. As Máquinas de Guerra que Gilles Deleuze e Félix Guattari conceituam. Os tempos atuais que nos convidam a pensar formas de existência que se desalinhem da reprodução surda de realidades excludentes e redutoras. Esses são os motes que erguem aqui um pensamento acerca das micropolíticas das periferias como moléculas de revolução. Como vias já abertas a serem olhadas com a atenção necessária não para aprender a andar nos caminhos já traçados, mas para inspirar a elaboração de caminhos outros e possíveis novos que condigam com as demandas sensíveis desses tempos.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Edição

Seção

Dossiê#2 A Corrente do Tempo: inflexões [Artigos]