A musa hesitante

literatos desenhistas, o desenho como companheiro da literatura e as várias interações entre texto e imagem

  • André L. Tavares Pereira

Resumo

Este artigo apresenta uma reflexão entre os limites e intercâmbios entre a
criação literária e o desenho. Ao invés de apenas tratar da ilustração, procuramos
compreender como artistas escritores e escritores que praticaram o desenho, em
qualquer manifestação, utilizaram este veículo para criar obras de narrativa e de
que modo a fabulação pode estar associada à criação visual e, sobretudo, ao ato
de desenhar. A pesquisa nasce do estudo que desenvolvemos sobre a obra de
Cornélio Penna, artista que se converte em escritor a partir do lançamento de sua
novela Fronteira, em 1935, e que deixa um rico registro, em depoimentos ou notas
pessoais, sobre sua relação com as artes visuais e sobre suas inquietações com o
ambiente artístico brasileiro da primeira metade do século XX.

Publicado
2020-09-10
Seção
Dossiê: O Desenho em Perspectiva