Os fundamentos do serviço social e o enfrentamento ao conservadorismo

Autores

  • Maria Carmelita Yazbek PUC-SP

DOI:

https://doi.org/10.34019/1980-8518.2020.v20.32934

Palavras-chave:

Fundamentos, Conservadorismo, Serviço Social

Resumo

O artigo apresentado analisa os fundamentos do conservadorismo clássico, a relação com o Serviço Social na sua gênese e a posterior ruptura.  Destaco a centralidade dos fundamentos na abordagem sobre a profissão, entendendo aqui por fundamentos a matriz histórico-ontológica, explicativa da realidade e da profissão, sob múltiplos aspectos, e que permeia a interlocução entre o Serviço Social e realidade. Concluímos sobre a necessidade de enfrentamento à ofensiva conservadora que caracteriza o tempo presente.

Biografia do Autor

Maria Carmelita Yazbek , PUC-SP

professora da PUC/SP, pesquisadora 1 A do CNPq, mestrado (1977) e doutorado (1992) em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pós doutoramento no âmbito de ciências políticas pelo Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo – USP.

Referências

CLOSS, Thaisa Teixeira. Fundamentos do Serviço Social: um estudo a partir da produção da área. Curitiba, Ed. CRV, 2017.
DARDOT e LAVAL. A nova razão do mundo. Ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo, Boitempo,2016
GOIN, Mariléia. Fundamentos do Serviço Social na América Latina e no Caribe.
Campinas, Papel Social, 2019. Cap. 1
GUIDENS, A. O debate global sobre a Terceira Via. (org.) São Paulo, UNESP, 2007
IAMAMOTO, Marilda. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil. Uma interpretação histórico metodológica. São Paulo, Cortez, 33ª edição, 2011.
LÖWY. Michael. Conservadorismo e extrema direita na Europa e no Brasil. IN. Serviço Social e Sociedade. Nº 124, São Paulo: Cortez, 2015.
MARTINS, José de Souza Capitalismo e Tradicionalismo. Estudos sobre a as contradições. Estudos sobre as contradições da sociedade agraria no Brasil. São Paulo: Pioneira,1975. Pg.54.
NETTO, Leila Escorsim. O Conservadorismo Clássico. Elementos de Cracterização e Crítica. São Paulo, Cortez,2011
OLIVEIRA, Francisco. Uma biografia não autorizada. São Paulo, Boitempo, 2018.
________. Crítica à razão dualista/O ornitorrinco. São Paulo, Boitempo,2003¬¬¬¬
RAICHELIS, Raquel. Serviço Social: trabalho e profissão na trama do capitalismo contemporâneo. In A nova morfologia do trabalho no Serviço Social. (org. por Raquel Raichelis, Damares Vicente e Valeria Albuquerque.) São Paulo, Cortez, 2018.
OLIVEIRA, Francisco. Uma biografia não autorizada. São Paulo, Boitempo, 2018.
________. Polêmicas Teóricas na análise marxiana do trabalho no Serviço Social. In Revista Em Pauta, Rio de Janeiro, 1º semestre de 2018 – nº 41,v.16, p.154-170
RODRIGUES, Mavi. Apontamentos a partir de reflexões desenvolvidas pela profa. Mavi Rodrigues no I Encontro da Rede Mineira de Grupos de Estudos sobre de Fundamentos do Serviço Social (REMGEFSS) realizado nos dias 1 a 3 de dezembro de 2020
SANTOS, Boaventura de Souza. A Crítica da Razão Indolente. São Paulo: Cortez, 2000.
YAZBEK, Maria Carmelita. O significado sócio-histórico da profissão. In: Serviço Social: Direitos Sociais e Competências Profissionais. Curso de Especialização à Distância CFESS/ ABEPSS/ 2009.
OLIVEIRA, Francisco. Uma biografia não autorizada. São Paulo, Boitempo, 2018.
________. Serviço Social, Questão Social e Políticas Sociais em tempos de degradação do trabalho humano, sob o domínio do capital financeiro In Serviço Social em Revista. Vol.21, n.1 UEL, 2018
OLIVEIRA, Francisco. Uma biografia não autorizada. São Paulo, Boitempo, 2018.
________. Serviço Social e seu projeto ético político em tempos de devastação: resistências, lutas e perspectivas. In Serviço Social na história. América Latina, África e Europa. (org. Maria Carmelita Yazbek e Marilda Iamamoto) São Paulo, Cortez,2019.
OLIVEIRA, Francisco. Uma biografia não autorizada. São Paulo, Boitempo, 2018.
________. e IAMAMOTO, Marilda Vilela. Serviço Social na história. América Latina, África e Europa. São Paulo, Cortez,2019.

Publicado

2020-12-11

Edição

Seção

Dossiê: Os desafios do Serviço Social ante a escalada do Conservadorismo