Sobre avaliação das submissões

Processo de avaliação pelos pares

O processo de avaliação de artigos submetidos à Revista Libertas é caracterizado por um sistema de tripla avaliação e envolve duas etapas sequenciais: o desk review e a avaliação pelos pareceristas. No desk review, a Comissão Editorial se reúne e analisa, sem qualquer identificação dos autores, os artigos recebidos para avaliar sua pertinência ao escopo da revista e seu potencial para contribuir, significativamente, para o conhecimento no campo de estudo do Serviço Social e das ciências humanas e sociais em geral. Quando necessário, os editores também envolvem algum membro do Conselho de Avaliadores nesse processo. Esta avaliação ocorre mensalmente. Quando o trabalho submetido não for adequado às políticas da revista os autores são comunicados sobre a decisão, em até quarenta e cinco dias contados a partir da data de submissão. Em geral sugere-se periódicos alternativos. Os artigos aprovados na etapa anterior - desk review - são encaminhados a dois dos especialistas que compõem o corpo de pareceristas da revista para avaliação no sistema Double Blind Review. Os pareceristas são professores e pesquisadores de reconhecida produção acadêmica em suas áreas de atuação. Os artigos são avaliados considerando-se a relevância do tema estudado para o Serviço Social, e ciências sociais em geral. Esta etapa do processo de avaliação pode durar até três meses, sendo que ao seu término, os autores são comunicados sobre a decisão editorial. Quando os pareceristas solicitarem ajustes no artigo, será concedido aos autores, a critério do editor, um prazo entre trinta e sessenta dias para a incorporação das sugestões e correções requeridas. Após a realização dos ajustes solicitados e constatação destes pelos pareceristas e editores, os artigos são submetidos à revisão ortográfica, gramatical e de adequação às normas adotadas pela revista e à editoração final do documento. A conclusão desse processo não implica a publicação imediata do artigo, cabendo aos editores, de acordo com as políticas editoriais, elaborar as pautas e decidir qual o momento apropriado para a publicação.

A decisão final sobre a publicação dos trabalhos recebidos será da Comissão Editorial, com base no programa editorial da revista. Durante a análise, será levada em conta a probidade ético-teórica, bem como, serão verificados o rigor, a clareza e a precisão do conteúdo analítico; o rigor, a clareza e a precisão da redação. As eventuais modificações de estrutura e conteúdo serão acordadas com o(s) autor(es), a(s) autora(s). Não serão admitidos acréscimos ou alterações ao texto, após sua avaliação e aceitação final. A Comissão Editorial assegura o anonimato para o(s) autor(es), a(s) autora(s) no processo de avaliação, como, também, assegura aos avaliadores, às avaliadoras, o sigilo de sua participação, permitindo liberdade para emitir julgamentos.

O(s) autore(s), as autora(s) devem informar a existência de conflitos de interesses (financeiros ou de outra ordem) que possam ter influenciado o seu trabalho. Portanto, precisam registrar no artigo todo o apoio institucional recebido e outras colaborações (financeiras ou pessoais) relacionadas ao estudo e/ou pesquisa realizados. O parecerista, por sua vez, deve comunicar à Comissão Editorial quaisquer conflitos de interesses que, em sua opinião, possam influir na sua avaliação sobre o artigo (caso o identifique) e, quando couber, deve declarar-se impedido de analisá-lo.