Ofensiva conservadora na educação superior e os desafios à formação em Serviço Social no Brasil

  • Sandra de Faria Pontifícia Universidade Católica de Goiás
  • Sarah Medeiros Avelar Mestre em Serviço Social pelo Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Serviço Social da Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Palavras-chave: Serviço Social. Educação Superior. Mercantilização. Financeirização. Conservadorismo.

Resumo

O artigo problematiza a contrarreforma da educação superior no Brasil e o seu alvo de mudança estrutural e conceitual de universidade. Objetiva contribuir com o debate crítico-analítico sobre o projeto de formação profissional propugnado nas Diretrizes Curriculares Nacionais de 1996 e a configuração do Serviço Social como área de conhecimento e avanço qualitativo inserido no contexto contraditório da Universidade. A proposta de discussão advém da hipótese de que a expansão dos cursos de Serviço Social sob a lógica privatista mercantil, com forte apelo aos valores do neoconservadorismo, é uma tendência incompatível e antípoda dos princípios, diretrizes, núcleos de fundamentação e conteúdos postulados nas Diretrizes Curriculares Nacionais de 1996.

Biografia do Autor

Sandra de Faria, Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Pós-Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Doutora e Mestre em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2003, 1997). Bacharel em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1985). Ex bolsista Capes - Professora Visitante no Exterior - Senior, no Mestrado em Serviço Social do Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra Portugal. Pós-Doutorado Sênior com bolsa do CNPq. Realizou estágio de pesquisa no Centro Português de Investigação em História e Trabalho Social-CPIHTS, em Lisboa/Portugal, em 2000, com bolsa doutorado sanduíche da CAPES. Professora adjunto I da Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC Goiás, dos Cursos de Graduação e Mestrado em Serviço Social. Coordenadora e Líder do Grupo Estudos e Pesquisa de Teoria Social e Fundamentos do Serviço Social do PPG em Serviço Social da PUC Goiás. Coordena atividades de ensino e pesquisa com ênfase na linha de pesquisa em Teoria Social e Serviço Social. Desenvolve estudos e investigações, com publicação em congressos e revistas, sobre a formação profissional, pesquisa, pós-graduação e produção do conhecimento na área. Exerceu os cargos de Pró-Reitora de Extensão e Apoio Estudantil, no período de 2002 a 2008, e de Pró-Reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da PUC Goiás, na gestão 2009-2013.

Sarah Medeiros Avelar, Mestre em Serviço Social pelo Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Serviço Social da Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Assistente Social. Graduada em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Mestre em Serviço Social pelo Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Serviço Social da Pontifícia Universidade Católica de Goiás.

Referências

ABEPSS, Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Diretrizes gerais para o curso de Serviço Social. Rio de Janeiro, 1996.

ABRAMIDES, M. B. C. O Projeto Ético-Político do Serviço Social Brasileiro: ruptura com o conservadorismo. São Paulo: Cortez, 2019.

ANTUNES, R. Os sentidos do Trabalho. Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Ed. Boitempo, 1999.

ANTUNES, R. O privilégio da servidão. O novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

ANTUNES, R.; PINTO, G. A. A fábrica da educação: da especialização taylorista à flexibilização toyotista. São Paulo: Cortez, 2017.

AUTOR. Formação Profissional, Fundamentos do Serviço Social e Ofensiva Conservadora na Educação Superior: a expansão dos cursos de serviço social no estado de Goiás. 2019, 129 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social). Escola de Ciências Sociais e da Saúde. Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia-Goiás, 2019.

BOSCHETTI, I. O desenho das Diretrizes Curriculares e dificuldades na sua implementação. In O Ensino e Trabalho Profissional: desafio para afirmação das diretrizes curriculares do projeto ético-político. Temporalis/ Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Ano 4, nº8 (jul./dez. 2004). Porto Alegre: ABEPSS, Gráfica Odisseia, 2004.

CHAUÍ, M. A universidade pública sob nova perspectiva. Revista Brasileira de Educação, n. 24, 2003.

CHAVES, V. L. J. Financeirização e Expansão do Ensino Superior privado-mercantil no Brasil. Disponível em http://www.aforges.org/wp-content/uploads/2016/11/8-Vera-Jacob-Chaves_Financeirizac_a_o-e-Expansao-do-Ensino-Superior-privado-mercantil.pdf. Acesso em: 01 mar. 2020.

CHAVES, V. L. J. Expansão da privatização do ensino superior brasileiro: a formação dos oligopólios. Revista Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 111, p. 481-500, abr.-jun. 2010 481 Disponível em http://www.cedes.unicamp.br Acesso em: 07 mar. 2020.

CHAVES, V. L. J. Política de financiamento e a expansão da educação superior no Brasil: o público e o privado em questão. Revista Educação Temática Digital, v. 17, n.2, pag. 427-441, 2015. Disponível em DOI: https://doi.org/10.20396/etd.v17i2.8635212. Acesso em: 07 mar. 2020.

AUTOR. Reflexões contemporâneas sobre pesquisa e produção do conhecimento em Serviço Social no Brasil. Revista Praia Vermelha, v. 24, nº 2. Serviço Social Latino-Americano: Questões Contemporâneas. Rio de Janeiro: UFRJ, p. 505-527, jul/dez. 2014.

HARVEY, D. A Condição Pós-Moderna. São Paulo: Loyola, 1993.

HOBSBAWM, E. Era dos Extremos. O Breve Século XX – 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

IAMAMOTO, M. V. Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2015.

KUENZER, A. Z. A formação dos trabalhadores no espaço de trabalho. In: Trabalho Necessário – www.uff.br/trabalhonecessario; Ano 14, Nº 25, 2016

MANCEBO. D. Acumulação flexível e educação superior: qual formação e para que força de trabalho? In O ensino a distância na formação em Serviço Social: análise de uma década. VALE, A.A. do; PEREIRA, L.D. (organizadoras). 1. ed. -Rio de Janeiro: E-papers, p. 16-27 2019.

MANCEBO, D. Educação superior no Brasil: expansão e tendências (1995-2014).
In: AZEVEDO, Mário Luiz Neves de; ROTHEN, José Carlos; SILVA JÚNIOR, João dos
Reis; SOUSA, José Vieira de (Orgs.). Política de educação superior brasileira: apontamentos e perspectivas. 1. ed. Belo Horizonte: Fino Traço, , p. 101-120.2017.

MARTINS, T.B.; VALE.A.A. do. A subsunção do trabalho docente na EaD e as políticas de desregulamentação do ensino superior brasileiro. In O ensino a distância na formação em Serviço Social: análise de uma década. VALE, A.A. do; PEREIRA, L.D. (organizadoras). 1. ed. -Rio de Janeiro: E-papers, p. 54 – 69. 2019.

MARX, K. Para a Crítica da Economia Política. Tradução Edgard Malagodi. São Paulo: Abril Cultural, 1982. (Os Economistas).

MOTA, A.E. (Org.) A nova Fábrica de Consensos. São Paulo: Ed. Cortez, 1998.

MÉSZARÓS, I. O Poder da Ideologia. Tradução Magda Lopes. São Paulo: Ensaio, 1996.

NETTO, J. P. Ditadura e Serviço Social. Uma Análise do Serviço Social no Brasil pós - 64. São Paulo: Ed. Cortez, 1991.

NETTO, J P. Transformações Societárias e Serviço Social. Notas para uma Análise Prospectiva da Profissão no Brasil. Revista Serviço Social e Sociedade n. 50, São Paulo: Ed. Cortez, 1996.

NETTO, J P. Capitalismo e barbárie contemporânea. Revista Argumentum, Vitória (ES), v. 4, n.1, p. 202-222, jan./jun. 2012

NETTO, J. P. Para uma nova história do Serviço Social no Brasil. In: Serviço Social no Brasil: histórias de resistência e de ruptura com o conservadorismo. Maria Liduína de Oliveira e Silva (Org.). São Paulo: Cortez, 2016.

NONATO, P. R. Formação em Serviço Social e a lógica da expansão do ensino superior brasileiro: um estudo dos cursos na modalidade a distância em Goiás. 2018, 185 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social). Escola de Ciências Sociais e da Saúde. Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia-Goiás, 2018.

PEREIRA. P.A. P. Serviço Social: um enfant terrible na institucionalidade burguesa? Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo: Cortez, n. 127, p. 413-429, set./dez. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/0101-6628.078

PEREIRA, L.D.; SOUZA, A.C. V.de. Formação profissional em Serviço Social no contexto de expansão mercantilizada: análise de uma década. In O ensino a distância na formação em Serviço Social: análise de uma década. VALE, A.A. do; PEREIRA, L.D. (organizadoras). 1. ed. -Rio de Janeiro: E-papers, . p. 109-137. 2019

SGUISSARDI, V. Educação Superior no Brasil. Democratização ou massificação mercantil? Revista Educação Social, Campinas. v.36, nº133, p.867-889, out-dez. 2015.

SIMIONATTO, I. Fundamentos Históricos e Teórico-Metodológicos do Serviço Social. In O Ensino e Trabalho Profissional: desafio para afirmação das diretrizes curriculares do projeto ético-político. Revista Temporalis. Ano 4, n. 8 (jul./dez. 2004). Porto Alegre: ABEPSS, Gráfica Odisseia, 2004.

VIEIRA, E. As Políticas Sociais e os Direitos Sociais no Brasil: Avanços e Retrocessos. Revista Serviço Social e Sociedade nº. 53. São Paulo: Cortez, 1997.
Publicado
2020-06-15