Consumo alimentar de idosos e sua associação com o estado nutricional

Autores

  • Marcos Vidal Martins Universidade Federal do Oeste da Bahia - Centro das Ciências Biológicas e da Saúde
  • Jacqueline Danesio Souza Universidade Federal de Goiás - Faculdade de Medicina.
  • Fernanda Silva Franco Faculdade Atenas
  • Karina Oliveira Martinho Universidade Federal de Viçosa Departamento de Nutrição e Saúde
  • Adelson Luiz Araújo Tinôco Universidade Federal de Viçosa Departamento de Nutrição e Saúde

Palavras-chave:

idoso, estado nutricional, consumo alimentar.

Resumo

O estudo investigou o consumo alimentar do idoso e sua associação com o estado nutricional. Tal abordagem se faz importante para uma melhor compreensão da realidade dos idosos, no que diz respeito à alimentação e aos determinantes da saúde. Assim, o objetivo do estudo foi avaliar o consumo alimentar e sua associação com o estado nutricional de idosos atendidos pela Estratégia Saúde da Família (ESF) do município de Viçosa, Minas Gerais. Trata-se de um estudo epidemiológico, transversal, de amostra probabilística com idosos de ambos os sexos, atendidos nas unidades da ESF, do município de Viçosa / MG. O estado nutricional foi avaliado pelo índice de massa corporal e perímetro da cintura. Para a avaliação do consumo alimentar foram aplicados dois recordatórios 24 horas. Os idosos apresentaram valores percentuais dentro do adequado para lipídios totais 67,6%, gordura poliinsaturada 15,6%, gordura monoiinsaturada 2,8%, gordura saturada 87,4%, colesterol 87,2%, carboidratos 56,0%, fibra 72,9% e proteínas 9,8%. O carboidrato se apresentou diretamente proporcional ao IMC com resultado estatisticamente significante, as demais variáveis não apresentaram associação com as medidas antropométricas. O estudo demonstrou associação direta do aumento do consumo de carboidratos e elevação do IMC em idosos. Os resultados confirmam que a mudança de padrão alimentar contribui para um pior estado nutricional e complicações associadas ao sobrepeso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Vidal Martins, Universidade Federal do Oeste da Bahia - Centro das Ciências Biológicas e da Saúde

Professor Assistente do curso de graduação em nutrição do Centro das Ciências Biológicas e da Saúde  da Universidade Federal do Oeste da Bahia

Jacqueline Danesio Souza, Universidade Federal de Goiás - Faculdade de Medicina.

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Saúde da Universidade Federal de Goiás/Faculdade de Medicina.

Fernanda Silva Franco, Faculdade Atenas

Coordenadora do curso de graduação em nutrição da Faculdade Atenas

Karina Oliveira Martinho, Universidade Federal de Viçosa Departamento de Nutrição e Saúde

Pos doutoranda no Departamento de Nutrição e Saúde da Universidade Federal de Viçosa

Adelson Luiz Araújo Tinôco, Universidade Federal de Viçosa Departamento de Nutrição e Saúde

Professor na Universidade Federal de Viçosa Departamento de Nutrição e Saúde

Referências

ALIZADEH, M. et al. Major dietary patterns among female adolescent girls of talaat intelligent guidance school, Tabriz, Iran. Iranian Red Crescent Medical Journal, v. 14, n. 7, p. 436, 2012.

BUENO, J. M. et al. Avaliação nutricional e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos pertencentes a um programa assistencial. Ciênc. saúde colet, v. 13, n. 4, p. 1237-1246, 2008.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contagem Populacional. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/popul> Acesso em fevereiro de 2015.

BRASIL. Normas para a Realização de Pesquisa em Seres Humanos. CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. RESOLUÇÃO 196/96. 1996.

CARVALHO, J.A.M.; GARCIA, R.A. O envelhecimento da população brasileira: um enfoque demográfico. Cad Saude Publica, v. 19, n. 3, p. 725-733, 2003.

COUTINHO, J.G., et al. A desnutrição e obesidade no Brasil: o enfrentamento com base na agenda única da nutrição Malnutrition and obesity in Brazil: dealing with the problem through. Cad. Saúde Pública, v. 24, n. Sup 2, p. S332-S340, 2008.

DROR, Yosel et al. Macronutrient consumption and nutritional status in a selected well-established group of elderly people in a home for the aged in Israel. Journal of the American College of Nutrition, v. 15, n. 5, p. 475-480, 1996.

FULGONI, Victor L. Current protein intake in America: analysis of the National Health and Nutrition Examination Survey, 2003–2004. The American journal of clinical nutrition, v. 87, n. 5, p. 1554S-1557S, 2008.

GARCÍA-ARIAS, M.T., et al. Daily intake of macronutrients in a group of institutionalized elderly people in León. Spain. Nutr. Hosp, v. 18, n. 2, p. 87-90, 2003.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dados preliminares do censo 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 20 janeiro de 2015.

IBGE.Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/xml/pof_2008_2009.shtm. Acesso em: 27 de Março de 2015.

ZIMMET, P. Z. et al., International Diabetes Federation: the IDF consensus worldwide definition of the metabolic syndrome. Diabetes voice, v. 50, p. 31-33, 2005.

TRUMBO, Paula et al. Dietary reference intakes for energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol, protein and amino acids. Journal of the American Dietetic Association, v. 102, n. 11, p. 1621-1630, 2002.

KÜMPEL, Daiana Argenta et al. Obesidade em idosos acompanhados pela Estratégia de Saúde da Família. Texto Contexto Enferm, v. 20, n. 3, p. 271-7, 2011.

LIPSCHITZ, D.A. Screening for nutritional status in the elderly. Prim care,vol.21, n.1,p.55-67. 1994.

LOPES, Aline Cristine Souza et al. Consumo de nutrientes em adultos e idosos em estudo de base populacional: Projeto Bambuí Nutrient consumption by adults and seniors in a population-based study. Cad. Saúde Pública, v. 21, n. 4, p. 1201-1209, 2005.

LOHMAN, T.G., et al. Anthropometric standardization reference manual. Champaign, IL:Human Kinetics. 1991.

MARTINS, M.V. et al. Anthropometric indicators of obesity as predictors of cardiovascular risk in the elderly.Nutr Hosp, v. 31, n. 6, p. 2583-2589, 2015.

MOTTA, L.B.; AGUIAR, A.C.. Novas competências profissionais em saúde e o envelhecimento populacional brasileiro: integralidade, interdisciplinaridade e intersetorialidade. Ciênc. saúde colet, v. 12, n. 2, p. 363-72, 2007.

NASCIMENTO. C.M. et al. Estado nutricional e fatores associados em idosos do Município de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Cad. saúde pública, v. 27, n. 12, p. 2409-2418, 2011.

SANTOS, R. D. et al. I Diretriz sobre o consumo de gorduras e saúde cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 100, n. 1, p. 1-40, 2013.

SANTOS, D.M., SICHIERI, R. Índice de massa corporal e indicadores antropométricos de adiposidade em idosos. Rev Saúde Pública, v. 39, n. 2, p. 163-8, 2005.

SCHRAMM JMA , et al. Transição epidemiológica: Estudo de carga de doença no Brasil. Ciênc. saúde colet, v.9, n.4,p.897-908. 2004.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. IV Diretriz Brasileira sobre Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose. CARDIOLOGIA, D. D. A. D. S. B. D. Rio de Janeiro. 88: 22 p. 2007.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE HIPERTENSÃO. I Diretriz Brasileira de Diagnóstico e Tratamento da Síndrome Metabólica. São Paulo: Produção Gráfica e Editorial – BG Cultural. 7:41 p. 2004.

VISSCHER, T.L.S, et al..Underweight and overweight in relation to mortality among men aged 40-59 and 50-69 years: the seven countries study. Am J Epidemiol, v.151, p.660-6. 2000.

Downloads

Publicado

2016-09-20

Como Citar

1.
Martins MV, Souza JD, Franco FS, Martinho KO, Tinôco ALA. Consumo alimentar de idosos e sua associação com o estado nutricional. hu rev [Internet]. 20º de setembro de 2016 [citado 5º de julho de 2022];42(2). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2517

Edição

Seção

Artigos Originais