Formação médica generalista: percepção do profissional e do estudante

Autores

  • José Antonio Chehuen Neto Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Mauro Toledo Sirimarco Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Társsius Capelo Cândido Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Cinthia Magalhâes Ulhoa Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Bruno Peruzza Reis Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Vinicius Magaton Lima Universidade Federal de Juiz de Fora

Palavras-chave:

Educação Médica, Currículo, Especialização, Papel Médico, Medicina de Família e comunidade

Resumo

As últimas décadas foram marcadas pela preocupação com a superespecialização da medicina, culminando com a formulação das Diretrizes Curriculares Nacionais. Estas orientam as instituições de ensino superior a transformarem o processo de ensino, objetivando a graduação do médico como generalista. Assim, é importante avaliar a formação sob a percepção dos estudantes e profissionais médicos, pesquisando se este objetivo está sendo contemplado. Foi realizado um estudo transversal através de dois questionários direcionados a acadêmicos e médicos. Principais resultados: 93,1% (n=95) dos médicos, 85,6% (n=184) dos acadêmicos concordam com formação generalista; 96,8% (n=210) dos acadêmicos pretendem se especializar e 75,5% (n=77) dos médicos já eram especialistas; o principal motivo para se especializar foi a realização profissional segundo 70,5% (n=146) dos acadêmicos e 87,1% (n=61) dos médicos; 63% (n=131) dos acadêmicos e 40,6% (n=41) médicos se mostraram favoráveis a atuação temporária como generalista. Ao investigar a valorização profissional atribuída ao generalista, comparada ao especialista, a maioria dos entrevistados acredita que o primeiro é mais mal remunerado, tem menor prestígio social e oportunidade de trabalho. Pode-se concluir: 1) apesar de concordarem com a formação generalista, a maioria dos entrevistados anseia pela especialização; 2) é importante avaliar algumas modificações na graduação, tais como maior envolvimento com a comunidade e enfoque na relevância do generalista para o sistema de saúde; 3) sugerimos a adoção de iniciativas de valorização ao médico generalista, como a criação de plano de carreira com melhor remuneração e estímulos científicos, que poderiam instigar os estudantes a exercerem este ramo da medicina.

Downloads

Publicado

2015-08-20

Como Citar

1.
Chehuen Neto JA, Sirimarco MT, Cândido TC, Ulhoa CM, Reis BP, Lima VM. Formação médica generalista: percepção do profissional e do estudante. hu rev [Internet]. 20º de agosto de 2015 [citado 11º de abril de 2021];40(1 e 2). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2095

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>