O Plano Nacional de Educação e o Rendimento Educacional

Resumo

O Plano Nacional de Educação estabeleceu diretrizes para as políticas educacionais até 2024. Dentre elas destacam-se metas relacionadas ao rendimento educacional. Há o pressuposto de que as redes, e suas respectivas escolas, são capazes de atingir tais resultados nos interstícios previstos. No entanto, não houve teste empírico para tais hipóteses. O desenvolvimento educacional brasileiro é entendido no PNE como uma produção social. Há uma ampla literatura acerca das reformas educacionais e o baixo rendimento é um dos principais entraves ao desenvolvimento educacional. Este trabalho desenvolve um modelo demográfico de fluxo a partir de fontes de dados contínuas e contíguas – série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – para analisar as tendências do rendimento educacional no Brasil. Observaram-se avanços ao longo dos últimos anos. No entanto, ainda é muito grande a parcela de crianças e jovens que não são aprovados. Ao considerar o conjunto da escolarização, reitera-se o padrão de exclusão educacional e desigualdade de oportunidades.

Biografia do Autor

Fernando Tavares Júnior, Universidade Federal de Juiz de Fora

Sociologia da Educação

Departamento de Ciências Sociais

Instituto de Ciências Humanas

Tales Corrêa Simão, OBEDUC
Observatório da Educação - CAPES / INEP
Universidade Federal de Juiz de Fora
Publicado
2016-08-30