A construção do ethos em Juvenal

The constitution of the poetic persona in Juvenal

Autores

Palavras-chave:

Juvenal. sátira romana. persona poética. éthos satírico

Resumo

Analisamos a construção de autoimagem realizada pela persona poética presente na obra do poeta romano Juvenal, autor de Sátiras, obra composta por dezesseis poemas. O emprego do conceito de persona poética para a análise de sátira romana foi pioneiramente proposto por William Anderson (1982), cujo objetivo foi devolver aos textos satíricos, então reduzidos à fonte biográfica de seus autores, seu estatuto artístico. Partindo da definição de éthos discursivo proposta por Maingueneau (2010), segundo o qual a construção de imagem do locutor é coextensiva a toda enunciação, analisamos como se apresenta a voz que enuncia as sátiras juvenalianas. Seguindo o método de análise de conteúdo proposto por Laurence Bardin (2006), nosso resultado se organiza em quatro categorias principais: a) o autorretrato do poeta de sátira; b) a condenação da riqueza; c) a opinião sobre as mulheres, e d) a descrição da sociedade em declínio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iana Lima Cordeiro, Universidade Federal do Espírito Santo

Departamento de Línguas e Letras, Letras com ênfase em Estudos Clássicos

Referências

ANDERSON, William. Essays on Roman Satire. Princeton: Princeton University, 1982.

ARMSTRONG, David. Juvenalis Eques: A Dissident Voice From The Lower Tier of the Roman Elite. In: BRAUND, Susanna;

OSGOOD, Josiah. A Companion to Persius and Juvenal. Malden: Blackwell, 2012. p. 59-78.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução: Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2006.

BRAUND, Susanna. Introduction. In: JUVENAL; PERSIUS. Juvenal and Persius. Edited and translated by Susanna Morton Braund. Cambridge: Harvard University, 2004. p. 1-39.

CARMO, Rafael Cavalcanti do. Difficile est saturam bene vertere: os desafios da tradução poética e uma versão brasileira das Sátiras de Juvenal. 2018. 291 f. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. 2018.

CASTRO, Marihá Barbosa e. O programa satírico de Pérsio frente à tradição. 2015. 146 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

CORDEIRO, Iana Lima. A construção da persona satíricana obra de Juvenal. 2019. 127 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2019.

CURTIUS, Ernst Robert. Literatura europeia e idade média latina. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1979.

GRIMAL, Pierre. Dicionário da mitologia grega e romana. Tradução de Victor Jabouille. 5. edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

HIGHET, Gilbert. Juvenal the Satirist: a Study. New York: Oxford University, 1954.

HORÁCIO. Sátiras. Tradução de Antônio Luís Seabra. São Paulo: Edipro, 2011.

JUVENAL. Juvenal and Persius. Edited and translated by Susanna Morton Braund. Cambridge: Harvard University, 2004.

LEITE, Leni Ribeiro; CORDEIRO, Iana Lima. A construção da persona na sátira 6 de Juvenal. Classica, e-ISSN 2176-6436, v. 31, n. 2, p. 89-100, 2018.

LEITE, Leni Ribeiro; CORDEIRO, Iana Lima. A construção satírica no livro I de Juvenal. Calíope: Presença Clássica, ano XXXIV, n. 33, p. 5-25, 2017.

MAINGUENEAU, Dominique. Doze conceitos em Análise do Discurso. São Paulo: Parábola, 2010.

PLAZA, Maria. The Function of Humour in Verse Satire: Laughing and Lying. New York: Oxford University, 2006.

VITORINO, Mônica Costa. Juvenal: o satírico indignado. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

Downloads

Publicado

2022-12-27

Como Citar

CORDEIRO, I. L. A construção do ethos em Juvenal: The constitution of the poetic persona in Juvenal. Rónai – Revista de Estudos Clássicos e Tradutórios, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 3–17, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ronai/article/view/38448. Acesso em: 4 fev. 2023.