Passado, Presente e experiências: reflexões sobre a recepção dos antigos gregos em Curitiba na virada do século XX

Past, present and experiences: some reflections on Ancient Greek reception at Curitiba in the early 20th century

  • Renata Senna Garraffoni Departamento de Historia/UFPR
Palavras-chave: poesia simbolista, recepção grega, literatura, política

Resumo

O presente artigo apresenta os primeiros resultados de uma pesquisa mais ampla sobre recepção dos gregos antigos na virada do século XIX em Curitiba. Por se tratar de um trabalho em estágio inicial, o artigo é uma proposta de leitura que visa refletir sobre estética simbolista, experiência de vida e as relações possíveis entre passado e presente em um lugar em que os antigos gregos não se fizeram presente historicamente, mas tiveram um papel importante na constituição de laços de sociabilidade na Modernidade. Focando no trabalho de Dario Vellozo busco analisar como sua leitura dos antigos gregos permitiu um fluxo de ideias que se materializaram em experiências coletivas diversas, criando novas possibilidades de existir no Brasil da primeira República.

Referências

BEGA, M. T. S. Letras e política no Paraná – simbolistas e anticlericais na República Velhas. Curitiba: Editora da UFPR, 2013.

BELTRAMI, A. N. Proezas alquímicas: a ciência e o esoterismo de Dario Vellozo na terra das Araucárias (Curitiba 1890-1913). Dissertação de Mestrado, UNB, 2009.

BENJAMIN, W. Charles Baudelaire – um lírico no auge do capitalismo. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1989.

CARVALHO, J. M. A formação das Almas – O imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

CAVICCHIOLI, M. R. As Representações da Sexualidade na Iconografia Pompeiana. Dissertação de mestrado defendida no IFCH/Unicamp, 2004.

GARRAFFONI, R. S. Os Antigos Gregos no acervo do Museu Paranaense: Recepção dos Clássicos, Poesia Simbolista e Política. Curitiba: Edição por demanda/SAMP/Museu Paranaense, 2018.

GARRAFFONI, R. S.; FUNARI, P. P. A. The uses of Roman heritage in Brazil, Heritage & Society, n. 5, vol. 1, p. 53-76, 2012.

GARRAFFONI, R. S.; SANFELICE, P. P. Arqueologia e poder: o caso de Pompeia. In: Anais I Semana de Arqueologia - Unicamp - Arqueologia e Poder, Campinas: Gráfica IFCH, p. 1-10, 2013b.

GARRAFFONI, R. S.; SANFELICE, P. P. Em tempos de culto a Marte por que estudar Vênus? Repensando o papel de Pompeia durante a II Guerra. In: Cerqueira, F.V; Gonçalves, A.T., Medeiros, E.; Brandão, J. L. (Orgs.). Saberes e poderes no mundo antigo. Coimbra: Impressa da Universidade de Coimbra, p. 65-84, 2013a.

GARRAFFONI, R. S.; SANFELICE, P. P. Homoerotismo nas paredes de Pompeia. In: ESTEVES, A. M.; AZEVEDO, K. T.; FROHWEIN, F. (Orgs.). Homoerotismo na Antiguidade Clássica. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, p. 219-248, 2014.

GARRAFFONI, R. S.; SANFELICE, P. P. Escavando Pompeia no início do século XX: Arqueologia, Nacionalismo e identidades em Conflito. In: SILVA, G. J.; GARRAFFONI, R. S.; FUNARI, P. P. A.; GRALHA, J.; RUFINO, R. (Org.). Antiguidade como Presença: Antigos, Modernos e usos do passado. Curitiba: Editora Prismas, p. 269-296, 2017.

GARRAFFONI, R. S; STOIANI, R. Escavar o passado, (re)construir o presente: os usos simbólicos da Antigüidade Clássica por Napoleão Bonaparte. Revista de História da Arte e Arqueologia, v. 6, p. 69-82, 2006.

HARA, T. Saber Noturno – uma antologia de vidas errantes. Campinas: Editora da Unicamp, 2017.

JENKINS, K. A história repensada. São Paulo: Editora Contexto, 2005.

LOWENTHAL, D. The past is a foreign country. Cambridge: CUP, 1985.

MACHADO, R. Impressões de Michel Foucault. São Paulo: n-1 Edição, 2017.

MURICI, A. Panorama do Movimento Simbolista Brasileiro. São Paulo: Editora Perspectiva, 1980 [1952].

NIGEL, A.; WOODS, C. S. Anachronistic renaissance. Nova York: Zone Books, 2010.

RAYMOND, M. De Baudelaire ao Surrealismo. São Paulo: Edusp, 1997 [1940].

RODRIGUES, H.; KOHLER, H. Travessias e cruzamentos culturais – a mobilidade em questão. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008.

RUFINO, R. N. O bimilenário de Augusto na Espanha (1939-1940): construções discursivas do franquismo sobre a Antiguidade romana. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

SANCHES NETO, M. A Reivindicação da província: a revista Joaquim e o espaço da estreia de Dalton Trevisan. Tese (Doutorado em Teoria Literária) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

VELLOZO, D. Atlantida. Curitiba: Retiro Saudoso, 1938.

WILLER, C. Um obscuro encanto: gnose, gnosticismo e poesia moderna. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

Publicado
2019-10-05
Seção
Dossiê: XXV Semana de Estudos Clássicos da UFJF