A formulação do éthos na retórica antiga

La formulazione dell’éthos nella retorica antica

  • Carlos Renato Rosário doutorando em Línguística – Estudos Clássicos no IEL/UNICAMP e professor assistente da UEA
Palavras-chave: retórica, éthos, discurso, orador

Resumo

Nosso trabalho pretende mostrar, brevemente, a formulação do conceito de éthos na retórica antiga, particularmente sob a visão de Aristóteles, na Ars rhetorica, e sua recepção no mundo romano, concentrada, pelos limites deste artigo, em alguns tratados de Cícero. Desse modo, tencionamos evidenciar de que modo a formulação de tal elemento transitava no mundo antigo e como poderia se manifestar na atuação e na formação do orador.

Riassunto

Nostro lavoro si propone di mostrare brevemente la formulazione del concetto di éthos nella retorica antica, in particolare sotto la visione di Aristotele, nella Ars rhetorica, e la sua ricezione nel mondo romano, focalizzata, per i limiti di questo articolo, in alcuni trattati di Cicerone. Così, abbiamo l’intenzione di mostrare come la formulazione di tale elemento circolava attraverso il mondo antico e come poteva manifestarsi nello svolgimento e nella formazione dell’oratore.

Parola chiave: retorica; ethos; discorso; oratore.

Referências

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução, estudo bibliográfico e notas de Edson Bini. Bauru, SP: Edipro, 2002.

ARISTÓTELES. Retórica. Introd. de Manuel Alexandre Júnior, tradução e notas de Manuel Alexandre Júnior, Paulo Farmhouse Alberto e Abel do Nascimento Pena. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1998.

BARTHES, Roland. A retórica antiga. In: COHEN, Jean et al. Pesquisas de retórica. Trad. de Leda Pinto Mafra Iruzun. Petrópolis: Vozes, 1975. p. 147-232.

CÍCERO. Retórica a Herênio. Trad. e introd. de Ana Paula Celestino Faria e Adriana Seabra. São Paulo: Hedra, 2005.

CICERÓN. L’Orateur et Du meilleur genre d’orateurs. Texte établi et traduit par Albert Yon. Paris: Les Belles Lettres, 1964.

FANTHAM, Elaine. Ciceronian conciliare and Aristotelian éthos. Phoenix: The Journal of Classical Association of Canada, v. 27, n. 3, p. 262-275, autumn, 1973.

GILL, Christopher. The ēthos/páthos distinction in rhetorical and literary. The Classical Quarterly, New Series, v. 34, n. 1, p. 149-166, 1984.

HALLORAN, S. Michel. Aristotle’s concept of éthos, or if not his somebody else’s. Rhetoric Review, v. 1, n. 1, p. 58-63, september, 1982.

HUGHES, Joseph J. “Dramatic” éthos in Cicero’s later rhetorical works. Disponível em revistacodex.com. Acesso em: 25 de agosto de 2010.

LAUSBERG, Heinrich. Elementos de retórica literária. Trad., pref. e adit. de R. M. Rosado. 5ª. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

MONTEFUSCO, Lucia Calboli. Cicerone, De oratore: la doppia funzione dell'éthos dell'oratore In: Rhetorica: A Journal of the History of Rhetoric, v. 10, n. 3, p. 245-259, summer, 1992.

QUINTILIEN. Institutio oratoria. Texte établi et traduit par J. Cousin. Paris: Les Belles Lettres, 1975-80. 7 vol.

SCATOLIN, Adriano. A invenção no Do Orador de Cícero: um estudo à luz de Ad Familiares I, 9, 23. Tese (Doutorado em Letras Clássicas) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP, 2009.

SMITH, Craig R. “Éthos” dwells pervasively: a hermeneutic reading of Aristotle on credibility. In: HYDE, Michel J. (Ed.). The éthos of rhetoric. Columbia – South Carolina: University of South Carolina, 2004. p. 01-19.
Publicado
2015-08-17
Seção
Artigos