Desenvolvimento e evidências de validade da Escala de Percepção das Práticas Docentes

  • Mayra Antonelli Ponti Universidade de São Paulo
  • Rosana Suemi Tokumaru Universidade Federal do Espírito Santo
  • Patricia Ferreira Monticelli Universidade de São Paulo
  • Teresa Vilaça Universidade do Minho
  • Patricio Costa Universidade do Minho
Palavras-chave: Avaliação pedagógica, Validade do teste, Atitudes do professor, Atividade pedagógica, Interação professor-aluno

Resumo

Práticas docentes personalizadas podem melhorar o desempenho escolar de estudantes. No entanto, não encontramos instrumentos específicos para avaliar estas práticas no contexto brasileiro. O objetivo deste estudo foi construir e apresentar evidências de validade da Escala de Percepção das Práticas Docentes (EPPD). Foram elaborados 25 itens avaliados por 11 juízes. A escala resultante com 17 itens foi aplicada a 477 professores, via formulário online. As análises fatoriais identificaram duas dimensões: Grupo (α = 0,79) reflete as práticas docentes dirigidas à turma; Personalização (α = 0,88) refere-se as práticas docentes dirigidas ao estudante individualmente, que explicaram 48,6% da variância. Os docentes apresentaram mais práticas para o grupo do que personalizadas. 

Referências

Asbury, K., & Plomin, R. (2013). G is for Genes: The impact of genes on education and achievement. Wiley Blackwell.
Beluce, A. C, & Oliveira, K. L. (2018). Learning Strategies Mediated by Technologies: Use and Observation of Teachers. Paidéia (Ribeirão Preto), 28, e2809. Epub 07 de junho de 2018. https://dx.doi.org/10.1590/1982-4327e2809
Cohen, R. J., Swerdlik, M. E., & Sturman, E. D. (2014). Testagem e Avaliação Psicológica-: Introdução a Testes e Medidas [Psychological Testing and Assessment: An Introduction
to Tests and Measurement]. AMGH Editora.
Ganda, D. R., & Boruchovitch, E.. (2018). A autorregulação da aprendizagem: principais conceitos e modelos teóricos. Psicologia da Educação, (46), 71-80. Recuperado em 06 de setembro de 2019, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-69752018000100008&lng=pt&tlng=pt
Gesser, M., & Martins, R. M. (2019). Contributions of a Teacher Training Program to Inclusive Education. Paidéia (Ribeirão Preto), 29, e2907. https://dx.doi.org/10.1590/1982-4327e2907
Hair, J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados [Multivariate Data Analysis]. Bookman Editora.
INEP (2016). Brasil no PISA 2015: Análises e reflexões sobre o desempenho dos estudantes brasileiros. São Paulo: Fundação Santillana, 2016. Recuperado de https://goo.gl/naEkpK.
Junges, S. K., & Behrens, M. A. (2016). Uma formação pedagógica inovadora como caminho para a construção de saberes docentes no Ensino Superior [An innovative educational training as a way to build teaching knowledge in Higher Education]. Educar em Revista, (59), 211-229. http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.42282.
Kline, R. (2013). Exploratory and Confirmatory Factor Analysis. In Applied quantitative analysis in education and the social sciences. Routledge.
Morán, J. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, 2, 15-33. Recuperado de: http://rh.unis.edu.br/wp-content/uploads/sites/67/2016/06/Mudando-a-Educacao-com-Metodologias-Ativas.pdf
Ollaik, L. G., & Ziller, H. M. (2012). Concepções de validade em pesquisas qualitativas. Educação e Pesquisa, 38(1), 229-242. https://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022012005000002
Pereira, L. O. de A., & Silveira, L. M. de O. B. (2017). Percepção das professoras sobre seus alunos do 5º ano. Psicologia da Educação, (45), 77 86. https://dx.doi.org/10.5935/2175-3520.20170019
Schmitt, D. P. (2015). The evolution of culturally-variable sex differences: Men and women are not always different, but when they are… it appears not to result from patriarchy or sex role socialization. In The evolution of sexuality (pp. 221-256). Springer, Cham. https://dx.doi.org/10.1007/978-3-319-09384-011.
Schulte-Rüther, M., Markowitsch, H. J., Shah, N. J., Fink, G. R., & Piefke, M. (2008). Gender differences in brain networks supporting empathy. Neuroimage, 42(1), 393-403. https://doi.org/10.1016/j.neuroimage.2008.04.180
Silva, F. L., Muzardo, F. T., Suzuki, A. L. S., da Silva, C. E. G., & Santos, D. (2017). Eficácia na sala de aula: autoavaliação de professores de uma escola pública [Effectiveness in the Classroom: Teachers’ Self-evaluation of a Public School]. Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas, 18(3), 239-243. http://dx.doi.org/10.17921/2447-8733.2017v18n3p239-243
Silva, F. L., Muzardo, F. T., Zamariam, J., Santos, F. L. M., Bazante, B., Alves, C. O., ... & Quintiliano, W. P. (2018). Eficácia Docente: Autoavaliação de Professores da Educação Básica [Teacher Effectiveness: Self-Assessment of Elementary School Teachers]. Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas, 19(3), 277-282. http://dx.doi.org/10.17921/2447-8733.2018v19n3p277-282
Tardif, M. Saberes docentes e formação profissional. (9. Ed). Petrópolis: Vozes, 2008.
Tessaro, N. S, & Guzzo, R. S. L. (2004). Auto-avaliação da competência para ensinar: estudo preliminar de uma escala [Self-evaluation of teaching competence: preliminary study from a scale]. Psicologia Escolar e Educacional, 8(2), 157-165. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141385572004000200004&ln=pt&tlng=pt.
van der Lans, R. M., van de Grift, W. J., & Van Veen, K. (2018). Developing an instrument for teacher feedback: using the rasch model to explore teachers' development of effective teaching strategies and behaviors. The journal of experimental education, 86(2), 247-264. https://doi.org/10.1080/00220973.2016.1268086
Warren, C. A. (2014). Towards a pedagogy for the application of empathy in culturally diverse classrooms. The Urban Review, 46(3), 395-419. https://doi.org/10.1007/s11256-013-0262-5
Zimmer-Gembeck, M. J., Chipuer, H. M., Hanisch, M., Creed, P. A., & McGregor, L. (2006). Relationships at school and stage-environment fit as resources for adolescent engagement and achievement. Journal of adolescence, 29(6), 911-933. 10.1016/j.adolescence.2006.04.008
Publicado
2020-05-30
Seção
Dossiê Temático Engajamento Escolar