Uma saudade nunca saciada:

Deus, utopia, e o transcendente sensato

Autores

  • Callid Keefe-Perry

DOI:

https://doi.org/10.34019/2236-6296.2022.v25.39365

Resumo

Neste ensaio considero algumas das implicações do pensamento de Alves ao lado do trabalho da teóloga feminista Grace Jantzen, cujas consequências proporcionam um terreno fértil para a reflexão futura. Primeiro exploro algumas das maneiras pelas quais a ênfase de Alves na saudade pode ser vista como intimamente relacionada ao seu pensamento sobre utopia e imaginação. Interpretar esses temas em relação ao pensamento de Jantzen mostra
a importância de prestar atenção à materialidade e às formas pelas quais a preocupação positiva com a personificação e a particularidade servem para nos convidar a um maior florescimento e engajamento com o sofrimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-10-29

Como Citar

KEEFE-PERRY, C. Uma saudade nunca saciada: : Deus, utopia, e o transcendente sensato. Numen, [S. l.], v. 25, n. 1, 2022. DOI: 10.34019/2236-6296.2022.v25.39365. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/numen/article/view/39365. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: ‘Deus morreu, viva Deus: sofrimento e esperança em tempos de pandemia’