Entender o passado e falar do presente: aportes a um Ensino Religioso descolonizador e pós-colonial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/2236-6296.2020.v23.31887

Resumo

A relação entre religião e educação encontrou no Ensino Religioso Escolar – ERE uma forma de expressão. E o ERE sempre foi motivo de controvérsias há muitos anos. Hoje, reconhecido e integrado à Base Nacional Comum Curricular – BNCC (BRASIL, 2017) e tendo Diretrizes Curriculares Nacionais – DCN (BRASIL, 2018) para a formação inicial de professores, vive momento ímpar. Isso não significa que seus problemas desapareceram, ao contrário. A questão curricular continua sendo um desafio na superação de toda forma de proselitismo e de colonialidade, que ainda persiste, principalmente pela longa ausência de formação específica, hoje identificada nas Ciências da Religião. Partindo de análise bibliográfica, o objetivo do artigo é refletir sobre o ERE na perspectiva da descolonialidade e da interculturalidade, situando-o na BNCC, com suas competências e habilidades, para a construção da cidadania e de uma cultura de paz e da superação de toda forma de intolerância e exclusão.

Downloads

Publicado

2021-01-15