Potência da razão e as limitações do ato humano: ciência é esponsalidade com o Criador

Autores

  • ODIRLEI ARCANGELO LOVO UNIR - Universidade Federal de Rondônia

DOI:

https://doi.org/10.34019/2236-6296.2020.v23.30874

Resumo

A potência da razão e as limitações do ato humano, evidencia a necessidade de planejar, de prever, de expectar e de esperançar o futuro e, neste sentido, ser a ação necessária para realizar, em família, o mundo que se deseja. Essa capacidade de planejar e realizar precisa ser compreendida sob a perspectiva de esponsalidade com o Criador. Quando o ser humano se destoa da esponsalidade se torna demolidores do reino, obcecado por construir a Torre de Babel, fomenta a discórdia e absolutismos. A proposta de narrar o ser humano administrador e cocriador da obra de Deus, embasa-se nos documentos da Doutrina social da Igreja e nos documentos que elucidam a vida e vivência da família ‘moral familiar’. Pontua-se sobre as dimensões de sociabilidade, de economicidade e de parentalidade, sustentando ser está a base para que o ser humano administre a obra de Deus. A ciência possibilita a visão global da realidade, mas será uma visão livre e finita, e sem a perspectiva do Reino de Deus, condicionará as pessoas ao individualismo e a desrealização da unidade, em função dos projetos de domínio absoluto.

Downloads

Publicado

2021-01-15