Sobre o paradigma do homo sacer: o sagrado, a culpa e o testemunho na ótica de Giorgio Agamben

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/2236-6296.2020.v23.30363

Resumo

Este artigo se destina a expor o sentido que o pensador contemporâneo Giorgio Agamben dá aos termos “sagrado” e “testemunho”, bem como o debate que promove sobre o conceito de “culpa”, os quais se articulam, no âmbito de sua metodologia – arqueológico-genealógica - com o paradigma do homo sacer (identificado, também, com a figura do refugiado). Através da “arqueologia do homem sagrado”, Agamben evidencia a função política atribuída pela sacralidade à vida o que, no campo epistemológico, instiga ampla reflexão e argumentação acerca dos conceitos e concepções que se consolidaram sobre a tradição ocidental e, na dimensão sociológica, oferece denso aporte teórico para se refletir a respeito de problemas crescentes no tempo presente, em especial a exclusão e o extermínio de seres humanos.

Palavras-chave: homo sacer; sagrado; culpa; testemunho; refugiado.

Biografia do Autor

Patrícia Almeida, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Mestra em Ciências da Religião (Bolsa CAPES), Licenciada e Bacharela em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2016), foi bolsista PIBIC/CNPq (2014-2015) e PIBID/CAPES (2013-2014), atuando na sub-área de Sociologia. É integrante do Grupo de Pesquisa "Ética, Política e Religião: questões de fundamentação? (CNPq/PPGCR PUC-Campinas).

Glauco Barsalini, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

É Professor Pesquisador do Programa de Mestrado em Ciências da Religião e da Faculdade de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). É membro, desde agosto de 2018, do Conselho Científico da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Teologia e Ciências da Religião (ANPTECRE). Realizou pós-doutorado no Departamento de Teologia da Loyola University Chicago (2019), é doutor em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2011), mestre em Multimeios pela UNICAMP (2001), bacharel e licenciado em Ciências Sociais pela UNICAMP (1995; 1997), bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC-Campinas (2002). Sua trajetória acadêmica tem se pautado por estudos e reflexões a respeito do poder social e de suas relações com o poder do Estado. Nesse diapasão, cultura e identidade cultural, poder coletivo e poderes estatal e jurídico, direitos humanos e o problema da exclusão social têm se conformado como as principais chaves de suas reflexões. Atualmente estuda as relações entre a teologia e a política na contemporaneidade.  

Downloads

Publicado

2021-01-15