Fronteiras religiosas, territórios de cura e limites interconectivos? Bem-estar e seu construto ecumênico em santuários africanos, casa de oração cristãs e hospitais

  • Michael Matthew

Resumo

A Geografia religiosa da maioria dos buscadores de saúde na África moderna facilmente cruza os âmbitos de fé de outras tradições religiosas, construindo assim inevitavelmente uma rede vívida de espaços ecumênicos que de modo surpreendente criam um diálogo interpenetrante entre santuários tradicionais africanos, casas de oração cristãs e hospitais ocidentais. A política de fronteiras abertas de locais de cura, particularmente na Nigéria e em Gana, proporciona orientações ecumênicas e enriquece as conversações inter-religiosas entre diferentes tradições. Consequentemente, o presente estudo destaca a subversão da retórica dogmática das diferentes tradições religiosas na busca pela saúde e integridade dos locais de cura. Essa triangulação ecumênica das fronteiras religiosas projetam um novo panorama religioso no qual as retóricas hostis das tradições religiosas são claramente suspensas, e uma nova apreciação de outras tradições em relação a saúde e bem-estar se estabelece popularmente. O embaçamento existencial das fronteiras religiosas dogmáticas e tradicionais suscita novas questões — e interessantes perspectivas no estudo moderno das religiões, da saúde e do diálogo inter-religioso/ecumenismo na África.

Publicado
2020-02-11
Seção
Religiões Africanas e Afrodiaspóricas