Lideranças femininas nas Folias de Reis, nas Umbandas e Candomblé: uma análise de fluxos e refluxos

  • Andiara Barbosa Neder
  • Gilciana Paulo Franco

Resumo

De cunho popular e devocional, a Folia de Reis era uma festa exclusivamente masculina. Entretanto, a mulher sempre esteve inserida, mas nas funções invisibilizadas. Atualmente, elas buscam sua inserção também na esfera ritual, e surgem as folionas e donas de folias. Não por coincidência, dentre os grupos pesquisados, aqueles liderados por mulheres são de pertença umbandista. Por outro lado, nas religiões afro-brasileiras a tradicional liderança feminina vem perdendo espaço. O objetivo deste trabalho é discutir a relação inversa observada entre o aumento gradativo de autonomia e visibilidade femininas no universo androcêntrico da Folia de Reis e a paulatina perda de relevância no cenário atual da Umbanda e Candomblé, que historicamente contaram com a participação feminina efetiva.

Publicado
2020-02-11
Seção
Religiões Africanas e Afrodiaspóricas