Escrever a resistência: uma análise das dinâmicas religiosas como narrativas insurgentes na Revolta dos Malês

  • Maria Cecília dos Santos Ribeiro Simões

Resumo

O presente artigo buscou, a partir do episódio do levante de escravizados muçulmanos no Brasil - a Revolta dos Malês, ocorrida em 1835 na Bahia - levantar as dinâmicas religiosas como possibilidade de discursos de insurgência e de transposição dos territórios centrais e zonas periféricas. Pretendeu-se compreender, através da experiência dos malês, as narrativas que sobreviveram nos espaços intersticiais, aquém ou além dos discursos hegemônicos e de seus mecanismos de exclusão e validação. Para tanto, mobilizamos nesta análise teorias alinhadas com as chamadas epistemologias pós-coloniais, considerando-as como potentes ferramentas para o entendimento de um episódio que da história que muito tem a contribuir para a compreensão da vivência do Islã no Brasil, bem como para as diversas nuances que configuram a diáspora africana no Atlântico.

Publicado
2020-02-11
Seção
Religiões Africanas e Afrodiaspóricas