Jorge Luis Borges e a teologia cristã.

  • Cícero Bezerra Universidade Federal de Sergipe. Departamento de Filosofia. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião. Pesquisador Produtividade-CNPQ2.
Palavras-chave: Borges, Literatura, Teologia, Tempo, Eternidade

Resumo

Resumo: Nas primeiras linhas da sua Historia de la Eternidade, Jorge Luis Borges faz a seguinte observação: “o tempo é um problema para nós, um terrível e exigente problema, talvez o mais vital da metafísica; a eternidade, um jogo ou uma fatigada esperança” (BORGES, 2005, p. 11). A questão que nos conduzirá aqui nesse artigo é: se o tempo é um problema, ou “o” problema metafísico por excelência”, o que significa uma história da eternidade e como pensa-la frente aos elementos da teologia cristã presentes na obra borgeana? Para esse artigo nos centraremos, além da Historia de la Eternidad, particularmente, no Aleph, na coletânea de contos intitulada Siete noches e na História universal de la infamia.

Biografia do Autor

Cícero Bezerra, Universidade Federal de Sergipe. Departamento de Filosofia. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião. Pesquisador Produtividade-CNPQ2.
Autor dos livros: Compreender Plotino e Proclo, Petrópolis: Vozes, 2006; Mística e Neoplatonismo em Dionísio Pseudo Areopagita, São Paulo: Paulus, 2009; Atual nas áreas de Filosofia da Religião, Literatura e Filosofia. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da UFS.
Publicado
2018-05-28