A compaixão como virtude e como fardo: anotações sobre o par Sônia e Raskólnikov, de Crime e Castigo

  • Priscila Nascimento Marques Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH)
Palavras-chave: Dostoiévski, Crime e castigo, Compaixão, Religiosidade.

Resumo

O presente artigo pretende tratardo tema da compaixão em Crime e castigo, romance de 1866 escrito por Fiódor M. Dostoiévski (1821-1881), tendo em vista o universo religioso do autor e sua obra. A temática será abordada por meio de uma análise das interações entre os personagens Sônia Marmieládova e Rodion Raskólnikov no referido romance e o campo ideológico e emocional representado por cada. São pertinentes à essa discussão o status do eu na obra dostoievskiana as características ambivalentes de sua desintegração. 

The present paper aims at approaching the theme of compassion in Crime and Punishment, the 1866 novel written by Fyodor M. Dostoevsky (1821-1881), considering the religious universe of the author and his oeuvre. The subject will be discussed through an analysis of the interactions between Sonia Marmeladova and Rodion Raskolnkov and the ideological and emotional spheres represented by each. The status of the I in the work of Dostoevsky and the ambivalent characteristics of its disintegration are also pertinent to this discussion.

Biografia do Autor

Priscila Nascimento Marques, Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH)
Mestre e doutora em literatura e cultura russa pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP).
Publicado
2016-12-29
Seção
Seção Temática: Fiódor Dostoiévski e a Religião