Lutas sociais e perspectiva histórico-crítica no serviço social latinoamericano

  • Vicente de Paula Faleiros UnB
Palavras-chave: Serviço social; Lutas de classes; Reprodução do capital; Protagonismo e autonomia dos trabalhadores

Resumo

O objeto deste artigo é a discussão sobre a relação do serviço social com a luta de classes e a reprodução do capital e das classes trabalhadoras, questionando a tese de uma linearidade nessa relação. O objetivo é de analisar o processo histórico da construção da profissão a partir de sua protoforma e de sua organização diversificada na sociedade capitalista. A metodologia pressupõe o desenvolvimento da profissão relacionado à hegemonia e à contrahegemonia dos blocos dominantes e dominados. Realizou-se uma revisão integrativa da literatura sobre a questão em pauta com referências a textos icônicos sobre o contexto e influentes no serviço social de cada momento, sendo objeto de uma reflexão epistemológica. A reflexão e interpretação dos resultados apontam para uma relação profunda do serviço social com a estrutura socioeconômica e a superestrutura juridicopolítica na dinâmica das lutas de classes concernente às contradições de manutenção dos pobres, benefícios sociais e controle/legitimação por parte das classes dominantes e a organização política, a autonomia, o protagonismo das classes dominadas numa correlação de forças, embora com hegemonia do poder estabelecido.

Referências

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão - o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.
BARTLETT, Harriett M. A base do serviço social. São Paulo: Pioneira, 1979.
BRAKE, Mike; BAILEY, Roy. Radical social work and practice. Londres: Edward Arnold, 1980.
BURKE, P. História e teoria social. São Paulo: UNSP, 2002
CASTEL, Robert. Les métamorphoses de la question sociale. Paris: Fayard, 1995.
CASANOVA, Pablo González. Imperialismo y liberación – una introducción a la historia contemporânea de américa latina. México: Siglo XXI, 1979.
CASTRO, Manuel Manrique. De apostoles a agentes de cambio: el trabajo social en la historia latinoamaricana. Lima: Celats Ediciones, 1982.
CEPAL. Panorama social de America Latina. Santiago - LC/PUB.2019/3-PISBN: 978921122008731.Santiago: Editorial CEPAL, Janeiro 2019. Disponível em: https://www.cepal.org/pt-br/publicaciones/ps
CFESS, Conselho Federal de Serviço Social. 30 anos do Congresso da virada. Brasília: CFESS, 2009.
CFESS, Conselho Federal de Serviço Social. Seminário Nacional: 30 anos do Congresso da virada. Brasília: CFESS, 2012.
CORRIGAN, Paul et al. Serviço social de bem-estar socialista.Rio de Janeiro: Zahar, 1983
DAL ROSSO, Sadi. Mais trabalho. A intensificação do labor na sociedade contemporânea. São Paulo: Boitempo, 2008.
DUMÉNIL, Gérard; LÉVY, Dominique. Capital resurgent. Roots of the neoliberal revolution. Cambridge: Havard University Press, 2004.
ENGELS, Friedrich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Global, 1845/1985.
ENGELS, Friedrich. Preface. In MARX, Karl. La guerre civile en France. Pekin: Edition en Langues Étrangères, 1972.
ESPING-ANDERSEN, Gosta. Welfare States in Trasition. Genebra: Unrisd e London: SAGE Publications, 1996, p. 32-65
FALEIROS, Vicente de Paula. Metodologia e ideologia do trabalho social. São Paulo: Cortez, 1981.
FALEIROS, Vicente de Paula. Cidadania e política. In: LUIZ, Danuta E. Cantoia. (org.) Sociedade civil e democracia. São Paulo: Veras, 2010 b, p. 275-303.
FALEIROS, V.P. O trabalho da politica. São Paulo: Cortez, 2010.
FALEIROS, Vicente de Paula; ARAÚJO, Adelina Almeida Moreira de; HEDLER, Helga Cristina. Precariedade e interdisciplinaridade no trabalho da Assistente Social na esfera pública. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 22, n. 2, p. 383-392, ago. 2019. Disponível em: doi:https://doi.org/10.1590/1982-02592019v22n2p383.
FALEIROS, Vicente de Paula. A política social do estado capitalista. São Paulo: Cortez Editora, 2009- 12ª edição
FALEIROS, Vicente de Paula. As interfaces do ensino e da prática no serviço social. In Novos rumos do ensino superior. São Paulo: PUC – NEMESS, setembro 1997, p. 34-54.
FALEIROS, Vicente de Paula. Estratégias em serviço social. São Paulo: Cortez, 2011, 10@ edição.
FALEIROS, Vicente de Paula. Globalização, correlação de forças e serviço social. São Paulo: Cortez, 2013.
FALEIROS, Vicente de Paula. O congresso brasileiro de assistentes sociais na conjuntura dos anos 70. In CFESS, Conselho Federal de Serviço Social. Seminário Nacional: 30 anos do Congresso da virada. Brasília: CFESS, 2012, p. 43-54.
FALEIROS, Vicente de Paula. Reconceituação do Ser o do Serviço Social: processo e movimento da Escuela de T da Escuela de Trabajo Social da Universidade Católica de da Universidade Católica de Valparaíso. In Em pauta, Rio de Janeiro _ 2o Semestre de 2017 - n. 40, v. 15, p. 87 – 101. Disponível em http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaempauta/article/view/32723/23542. DOI: 10.12957/REP.2017.32723
FALEIROS, Vicente de Paula. Saber profissional e poder institucional. São Paulo: Cortez, 2015 – 11ª edição.
FALEIROS, Vicente de Paula. Tecnocracia e assistencialismo no capitalismo autoritário. O serviço social na previdência social dos anos 70. In BRAGA, Léa; CABRAL, Maria do Socorro Reis (orgs). Serviço social na previdência: trajetória, projetos profissionais e saberes. São Paulo: Cortez Editora, 2007, p. 63-93.
FALEIROS, Vicente de Paula. Infância e processo político no Brasil. In: RIZZINI, Irene; PILOTTI, Francisco (Org.). A arte de governar crianças: A história das políticas sociais, da legislação e da assistência à infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2009 b. p. 33-96.
FALEIROS, Eva. A criança e o adolescente objetos sem valor no Brasil Colônia e no Império. In: RIZZINI, Irene; PILOTTI, Francisco (Org.). A arte de governar crianças: A história das políticas sociais, da legislação e da assistência à infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2009. p. 203-222.
FALEIROS, Vicente. Construção de uma epistemologia crítica no Serviço Social. In SILVA, Maria Liduína de Oliveira e (org). Congresso da virada e o serviço social hoje. São Paulo: Cortez editora, 2019b, p.99-116.
FIGUEIRA-McDONOUGH, Josefina. The Welfare State and Social Work: pursuing social justice. Londres: Sage, 2007.
FLORA, P. e HEIDENHEIMER, A. J., A. J. The development of welfare states in Europe and America. New Bruswick (U.S.A.): Transaction Publihers,1990.
GALPER, Jeffry. Política social e trabalho social. São Paulo: Cortez, 1986.
GASPARI, Elio. A ditadura encurralada. São Paulo: Intrínseca, 2003/2014.
GASPARI, Elio. A ditadura escancarada. São Paulo: Companhia das letras, 2002.
GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999, Volume 1.
GRAMSCI, Antonio. Introdução à filosofia da práxis. Lisboa: Antídoto, 1978.
GRAMSCI, Antonio. Maquiavel, a política e o estado moderno. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1980.
GUSTAFSSON, Bo. Marxismo y revisionismo. Barcelona: Grijalbo, 1975.
HAMILTON, Gordon. Théorie et pratique du case work. Paris: École psychologique et sociale interrégionale, 1972.
HARDING, Timothy Fox. The political history of organized labor in Brazil. Tese de doutorado. Stanford University, 1973.
HARVEY, David. 17 contradições e o fim do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2016.
HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos. O breve século XX. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.
HAYEK, Friedrich A. O caminho da servidão. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises Brasil, 2010.
IAMAMOTO, Marilda Villela. Serviço social em tempo de capital fetiche. São Paulo: Cortez, 2007, p. 13-18.
ILLOUZ, Eva. O amor nos tempos do capitalismo. São Paulo: Zahar, 2011.
JOÃO XXIII. Mater et Magistra – encíclica. 15 de maio de 1961.
KAHN, Alfred J. (Org.) O serviço social no mundo moderno. Rio de Janeiro: Agir, 1972.
KISNERMAN, Natalio. Servicio social pueblo. Buenos Aires: Hvmanitas, 1972.
KRUSE, Herman C. Introduccion a la teoria cientifica del servicio social. Buenos Aires: ECRO, 1972.
LEAO XIII. Rerum Novarum. Encíclica. Disponível em http://w2.vatican.va/content/leo-xiii/pt/encyclicals/documents/hf_l-xiii_enc_15051891_rerum-novarum.html. Acessado em 06/05/2019.
LEIBFRIED, Stephan; PIERSON Paulo. European social policy. Washington: The booking institution, 1995.
LOWY et al. Movimento operário brasileiro 1900/1979. Belo Horizonte: Vega, 1980.
LUXEMBURGO, Rosa. Reforma ou revolução? Lisboa: Estampa, 1970.
MÉDARD, Jean-François. Communauté locale et organization communautaire aux États-Unis. Paris: Librairie armand cloin, 1969.
MALTHUS, Thomas Robert. Ensaio sobre a população. São Paulo: Abril Cultural, 1798/1983.
MARSHALL, T. H. Cidadania e classe social. Brasília: Fundação Projeto Rondon, 1988.
MARTINELLI, Maria Lúcia. Serviço social: identidade e alienação. São Paulo: Cortez, 1989.
MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2007.
MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifeste du Parti Communiste. Moscou: Les Editions du Progrès. 1973/ Prefácio da edição Alemã de 1872.
MARX, Karl. Le Capital. Montréal: Nouvelle Frontière, 1976
MENDES, Karina Dal Sasso; SILVEIRA, Renata Cristina de Campos Pereira; GALVÃO, Cristina Maria. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto - enferm., Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 758-764, Dec. 2008. Acesso em 26 de Agosto de 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018.
MÉSZÁROS, István. Estrutura social e formas de consciência II: a dialética da estrutura e da história. São Paulo: Boitempo, 2011.
MOTA, Ana Elizabete; AMARAL, Angela (org). Cenários, contradições e pelejas do serviço social brasileiro. São Paulo: Cortez, 2016.
NETTO, José Paulo. Pequena história da ditadura brasileira. São Paulo: Cortez, 2014.
NETTO, Jose Paulo. Capitalismo monopolista e serviço social. São Paulo: Cortez, 1992.
NOYAU SERVICE SOCIAL - CAP ST-JACQUES ET MAISONNEUVE. Dossier service social. Le service social... instrument d’une classe?. Montréal: Presses du CIRQUE, 1973.
OXFAM. Bem público ou riqueza privada?. 01/01/2019. Disponível em: https://www.oxfam.org.br/publicacoes. Acessado: 07/05/2019
PALMA, Diego. La practica política de los profesionales. Lima: Celats, 1985.
PARSONS, Talcott. Sociedades: perspectivas evolutivas e comparativas. São Paulo: Pioneira, 1969.
PINHEIRO, Maria Esolina. Serviço Social - Infância Juventude Desvalidas. São Paulo: Cortez, 1939/1985.
PINHEIRO, Paulo Sérgio e HALL, Michael M. A classe operária no Brasil. Documentos. São Paulo: Brasiliense, 1981, 3 vol.
RAWLS, John. Uma teoria da justiça. Brasília: Editora UnB, 1991.
RICHMOND, Mary E. Social Diagnosis. New York: Russel Sage Foundation, 1917. Disponível em: https://www.historyofsocialwork.org/PDFs/1917,%20Richmond,%20Social%20Diagnosis%20OCR%20C.pdf. Acesso em 05/08/2019.
SOARES, Laura Tavares Ribeiro. Ajuste neoliberal e desajuste social na América Latina. Petrópolis: Vozes, 2001.
SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das letras, 2000.
TOBÓN, Maria Cecília; ROTTIER, Norma; MANRIQUE, Antonieta. La práctica del trabajador social. Lima: Celats/Buenos Aires: Hvmanitas, 1986.
VASCONCELOS, Ana Maria de. A/O Assistente social na luta de classes – projeto profissional e mediações teórico-práticas. São Paulo: Cortez, 2015.
VERDÈS-LEROUX, Jeannine. Trabalhador social-prática, hábitos, ethos, formas de intervenção. São Paulo: Cortez, 1986.
ZABALA C. Manuel T. Método sin metodología - hombre, transformación, ciencia. Buenos Aires: ECRO, 1974.
Publicado
2019-12-08