Política de saúde e a formação dos trabalhadores no sistema único de saúde

  • Maria Inês Souza Bravo UERJ
  • Maria de Fátima Siliansky de Andreazzi Grupo de Pesquisa Gestão Democrática da Saúde e Serviço Social/UERJ
Palavras-chave: Saúde, Formação, Frente Nacional

Resumo

O presente artigo apresenta discussão acerca das contrarreformas na política de saúde que tem tensionado o processo formativo dos trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS). Apresenta a correção de forças existente para implantação de diferentes projetos para área da saúde e defende a perspectiva do projeto de reforma sanitária construído nos anos 1970 e reforça as pautas que a Frente Nacional contra a privatização da saúde.

Referências

ANDREAZZI, M. F. S O Seguro Saúde Privado no Brasil. Dissertação. Mestrado em Saúde Coletiva. Instituto de Medicina Social da UERJ, 1991.
_____; BRAVO,MI; PACHECO, J. Novos agentes econômicos fomentados pela contrarreforma liberal na saúde: um panorama das organizações sociais atuantes no município do Rio de Janeiro, Brasil. BRAVO, M I et al (orgs). A mercantilização da saúde em debate: as Organizações Sociais no Rio de Janeiro.1 ed.Rio de Janeiro : Rede Sirius, 2015, v.1, p. 61-69.
AGENCIA NACIONAL DE SAÚDE (ANS). Beneficiários de planos privados de saúde, por cobertura assistencial (Brasil – 2009-2019). Disponível em: http://www.ans.gov.br/perfil-do-setor/dados-gerais. Acessado em 31 de janeiro de 2019.
BANCO MUNDIAL Um Ajuste Justo: Análise da eficiência e equidade do gasto público no Brasil. Volume I. Síntese. Saúde: Uma alternativa para oferecer mais e melhores serviços. Brasília, 2017.
______. Propostas de Reformas do Sistema Único de Saúde Brasileiro. Brasília. s/d.Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2019
BRAVO,M.I.S.:PELAEZ, E. J.; PINHEIRO, W. N. As contrarreformas na política de saúde do governo Temer. Argumentum, Vitória (ES), v. 10, n. 1, p. 9-23, jan./abr. 2018.
CHESNAIS, F. A Mundialização do Capital. São Paulo: Xamã, 1996.
CHRISPIM,M. Por ande anda a atividade regulatória da Agência Nacional de Saúde Suplementar/ANS: um informe. Boletim Rumos, n. 2. IESC-UFRJ, mai/jun/jul de 2018.
FRENTE NACIONAL CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA SAÚDE – Plenária Final do VIII Seminário da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde. O Avanço do Capital sobre a classe trabalhadora. 23 a 25 de novembro de 2018 em Porto Alegre/RGS.
GUIDI,S. Planos de saúde acessíveis e a uberização da saúde. SaudeOnline.net, s/data. Disponível em: https://saudeonline.grupomidia.com/blog/planos-de-saude-acessiveis-e-a-uberizacao-da-saude/. Acessado em: 31 de janeiro de 2019.
HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1993.
INSTITUTO BRASILEIRO DE DEFESA DO CONSUMIDOR (IDECO). Disponível em: https://idec.org.br/noticia/organizacoes-se-mobilizam-contra-nova-lei-de-planos-de-saude. Acessado em 31 de janeiro de 2019.
INSTITUTO COALIZAÇÃO SAÚDE. Disponível em http://icos.org.br/. Acessado em 01 de maio de 2018
MAHIN, D. A agenda do capitalismo burocrático para a saúde: Mais ataque à poupança pública. A Nova Democracia, ano IX, nº 70, outubro de 2010.
MENEZES,J.S.B. As lutas por saúde no Brasil: o Projeto de Reforma Sanitária em face das Contrarreformas. Tese. Doutorado em Serviço Social. Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2016.
RUMOS n. 2 Banco Mundial, a pedido de Temer, recomenda reduzir acesso da população de cidades pequenas a hospitalização e ampliar a privatização para Organizações Sociais de Saúde. Rio de Janeiro, IESC-UFRJ, jun/jul/ago de 2018.
TORRES, R. Na Câmara, o SUS a perigo. Outra Saúde (Blog). 05 abr. 2019. Disponível em: < https://outraspalavras.net/outrasaude/na-camara-o-sus-a-perigo/ >. Acesso em: 19 abr. 2019.
Publicado
2019-12-09