Atuação de agentes comunitários em favelas: um capítulo de sua história na área da saúde, em Manguinhos, entre os anos de 1986 a 1989

  • André Luiz da Silva Lima Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: história da saúde, agentes comunitários de saúde, favelas de Manguinhos.

Resumo

O uso de trabalhadores comunitários (auxiliares) em projetos governamentais e de organizações internacionais tem registros no Brasil desde os anos 1940, especialmente nas iniciativas que incorporaram os preceitos da chamada Ideologia de Desenvolvimento de Comunidades. Nas duas últimas décadas do século XX, num contexto de convergência de discursos oriundos de diversas matrizes acerca da participação da população nos projetos de caráter público, a figura do agente comunitário enquanto mediador desponta como estratégico em diferentes projetos. Neste sentido, o presente artigo assume por objetivo tecer algumas considerações sobre a emergência e atuação de agentes comunitários, nas favelas de Manguinhos entre os  ano de 1986 a 1989, quando da implementação de um projeto de saúde comunitária na UTGSF (Fiocruz), fruto da parceria do Unicef e Flasco.

Publicado
2017-03-06